Forum Boys

O forum sobre todos os teus boys preferidos!
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  Registrar-seRegistrar-se  MembrosMembros  GruposGrupos  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 a lenda de kaleido star

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte
AutorMensagem
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: a lenda de kaleido star   Ter Jul 10, 2007 4:23 am

aqui vai meu fic de kaleido star mas fica primeito com a musica da abertura

Ha uma lenda que trazida pelo vento me ensina a sorrir
(nasce o dia aprece sora de costas, vestida com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star).

E me dá forças para viver, onda as borboletas vão livres e é assim
(aparece todo o elenco do kaleido star a fazer acrobacias e a saltar)

nenhum coração é triste e assim nascem flores coloridas no meu jardim, nascem flores coloridas no meu jardim, e assim nascem flores coloridas no meu jardim
(aparecem os rostos do Leon e do Yuri a olharem um par o outro em sinal de desafio)

Ha uma lenda onde existe um sentimento que nunca vai acabar que levo dentro de min onde as dores nunca chegam , onde não existe medo, e é assim é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir
(aparece sora a correr na praia com um vestido branco e um chapéu de palha de repente ele voa para o sol e tudo se enche da luz do sol)


Faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões, que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, faça que o anjo, que vive nos seus sonhos, cuide da criança que ha em nos,e quando cresça, nunca se esqueça, porque perdera o seu coração
(aparece uma rapariga de rosto tapado pelos cabelos castanhos encaracoladas com vestido cor de rosa cheio de folhinhos e assegurar numa sombrinha também cor de rosa)


Ha uma lenda que a vovo contava sempre e que eu vou te contar para você poder sonhar onde a maldade perde e eu bem que sempre vence e é assim só quem sonha é feliz até ao fim só quem sonha é feliz até ao fim, so quem sonha em feliz até ao fim
(aparece sora, Leon, Yuri, e a rapariga do vestido cor de rosa a fazer uma vênia)

faça a lenda valer pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, façam que o anjo que vive no seu coração, cuide da criança que ha em nos e quando cresça nunca se esqueça porque perdera o seu coração
(aparece Sora, Leon, Yuri, Rosseta e a rapariga cor de rosa a voarem no ar, com as asas de um anjo no ar e foll a rodar entre eles e a lançar o seu pozinho dourado)


faça a lenda valer a pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valer a pena, essa lenda valer a pena
(aparece sora a balouçar em cima de um trapézio muito sorridente e foll no ombro dela)


faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valera pena faça, essa lenda valera pena
(aparece sora de costas a noite com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star e de repente aparece o pessoal do kaleido star a correr para ela e o fool a lançar o seu pozinho dourado e a voar até ao topo do kaleido star)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Ter Jul 10, 2007 4:24 am

Capitulo I A lenda de kaleido star

I -Um toque do destino

Ainda era outono na cidade luz, pessoas saiam de suas casas com alegria
no fim de tarde, caminhando pelas ruas e parques.

Diante do grande portão de ferro, um táxi parou. Logo o motorista fora avisado para esperar. Quando um belo jovem de cabelos dourados, vestindo um longo sobretudo preto saiu. Mal dera dez passos fora abordado por uma senhora já de idade.

-Flores Sr? –ela ofereceu, mostrando-lhe uma cesta que carregava.

-Não obrigado! – ele respondeu educadamente.

-Vejo tristeza em teus olhos rapaz, mas alivia teu coração, todos merecem uma segunda chance; a mulher falou o fitando com serenidade, antes de se afastar.

-Por favor, espere! –ele pediu correndo até ela.

-Sim!

-Quero todas as brancas; ele falou, enquanto pegava a carteira de dentro do bolso do sobretudo.

-Aqui esta; a mulher disse lhe entregando um buquê com lírios, rosas e gérberas brancas.

-Obrigado! – ele respondeu, pagando e voltando-se para frente do portão semi aberto. –É agora! –ele murmurou entrando.

Um longo campo verde estendia-se a sua frente. Desviando aqui e ali, ele finalmente chegara ao seu destino. Nunca pensou que, apenas neste lugar fosse acontecer esse reencontro, tantas lembranças, das quais algumas não eram tão boas quanto às outras.

-Me perdoa por demorar tanto tempo pra vir te visitar, mas não me senti digno de vir aqui depois de tudo; ele falou se aproximando. –Me perdoa por não ter podido corresponder aos seus sentimentos e ainda ter sido tão cretino a ponto de usá-los de forma tão cruel; ele falou dando um suspiro. –“Agora que comecei não posso parar”; ele pensou. –Me perdoa por ter te machucado e principalmente por ser o responsável pelo seu esplendor ter se apagado; ele continuou com a voz sofrida. –Juro que se pudesse voltaria no tempo e nunca teria começado com aquela vingança estúpida que feriu tantas pessoas; Yuri falou caindo de joelhos no chão de frente a bela lápide de mármore branco com os dizeres:

Sophie Oswald.
Amada Irmã.

-Me perdoa, Sophie; a voz de Yuri saiu quase num murmúrio, enquanto algumas lágrimas rolavam sobre a face alva do jovem. Nublando os belos olhos violeta.

-Deve tê-la amado muito não, meu jovem? – a Sra das flores falou, aparecendo a seu lado.

-Infelizmente não fui digno de tal sentimento; ele respondeu se recompondo.

-Todos têm direito de amar; a Sra respondeu.

-Não! Eu não; ele respondeu, depositando as flores em cima do tumulo. –Esse sentimento é bom de mais para alguém como eu;

-Deveria se dar uma segunda chance, meu jovem; a mulher falou.

Um estalo na mente de Yuri fê-lo voltar a exatamente dois anos atrás, quando sairá as pressas de Paris para os Estados Unidos e a promessa que fizera a ela antes de partir.

-Uma mulher já me disse isso antes; ele comentou, não sabia o porque de estar conversando com uma completa estranha algo tão pessoal, mas sentia necessidade de desabafar com alguém.

-Ela deve ser bem especial para você; a Sra comentou.

-Muito; ele respondeu fitando a lápide próxima a seus pés. – Mas também já a magoei.

-Meu jovem as oportunidades, somos nós que as criamos e antes de querermos o perdão de alguém temos que nos perdoar primeiro; a Sra falou colocando a mão sobre o ombro dele, de modo consolador. –Não adianta lutar contra os demônios do passado, você tem que seguir em frente e encontrar aquele anjo que lhe guia; a Sra completou.

-Eu já me senti assim. Enfrentando numa batalha acirrada meus próprios demônios, até perder e me sentir como um deles; Yuri falou com amargura. – Mas ela me deu a mão, sempre achei incrível como ela conseguia ver o lado bom das coisas mesmo com a situação difícil, sem desistir; ele falou. – Ela foi à única a ver em um lado bom em mim, que eu desconhecia a existência; ele completou com o olhar vago.

-Já disse a ela que a ama? –a Sra perguntou.

-Ahn! Ah... Não é isso; ele respondeu prontamente, com um leve rubor. – Nós somos só amigos.

-Mas ela é especial para você? – a Sra perguntou arqueando uma sobrancelha.

-É, mas...;

-Então o que esta esperando para conquistá-la? – a Sra perguntou impaciente.

-Acho que a Sra não entendeu; Yuri começou, gesticulando impacientemente ainda com a face corada.

-Entendi sim meu jovem; a Sra falou. –Creio que por mais mal que você possa ter causado a essa jovem; ela falou apontando para a lápide. – Ela não iria querer te ver sofrendo e garanto que estaria triste ao ver-lhe assim; a Sra completou.

-Sra; Yuri murmurou.

-Todos temos direito a uma segunda chance, para viver, ser feliz... Amar, só basta se permitir a isso;

-Não sei! –ele murmurou confuso.

-Você é jovem, tem muita coisa para viver ainda, mas seja rápido, alguém pode conquistá-la antes; a Sra falou com um sorriso. – Até algum dia Jovem Yuri; ela falou.

-Obrigado Sra; ele falou fazendo uma breve reverencia, não se dando conta de que a Sra o chamara pelo nome.

-Tome, considere isso como um presente, para começar bem a sua nova vida; a Sra falou lhe entregando uma rosa vermelha. –Seja feliz.

Com as mãos tremulas. Ele aceitou o presente, a delicada flor moldou-se entre as palmas de suas mãos. Aquela rosa tinha uma cor intensa, viva e vibrante que lhe deixava completamente fascinado. Ergueu seus olhos para agradecer a Sra, mas não viu mais ninguém, estranhamente a Sra se fora.

Bem, era hora de deixar os fantasmas do passado de onde eles nunca deveriam ter saído. Do passado. Seis meses longe do Kaleido Star, foram suficientes, precisava voltar, agora isso já virara necessidade. Ali começaria sua vida do zero, onde pela primeira vez em muito tempo se permitiria ser feliz.

Era a hora certa para voltar...


Última edição por em Ter Jul 10, 2007 4:26 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Ter Jul 10, 2007 4:24 am

II – Novas Idéias.

Alguns dias depois/ Kaleido Star...

Mia andava de um lado para outro desesperada, “como todo período que precedia uma nova temporada”, logo teria de entregar o roteiro da peça nova para Carlos e mal a escrevera. O chefe simplesmente a mandara fazer algo inédito em comemoração aos 25 nos do Kaleido e ela simplesmente congelou sua veia literária.

Procurando em seus livros, na Internet e nada de ter uma inspiração. Até que seus olhos baterem na primeira pagina do jornal que Anna estava lendo a sua frente.

-Da isso aqui! – ela gritou puxando das mãos da jovem assustada a folha, fazendo a mesma com o susto cair da cadeira. –Daqui a três meses o maior eclipse lunar do milênio vai acontecer, por volta das seis da sete da noite (horário de verão). Sol e Lua se encontrara... Uhn! Bom, muito bom; ela murmurou com a mão no queixo.

-Mia você está bem? – Anna perguntou assustada, enquanto se levantava do chão.

-PERFEITO! –ela gritou, fazendo Anna cair de novo no chão, com o salto que ela deu. –Já sei sobre o que vai ser a próxima peça; ela falou com os olhos brilhando.

-E sobre o que é? – Anna perguntou animada.

-Vai ser incrível; Mia falou animada, ignorando a pergunta. –Tenho que falar com o Carlos urgente;

Logo Mia saiu correndo do quarto, em direção a sala do Chefe, agarrada ao jornal. Deixando uma confusa Anna para trás.

III – Livre como um pensamento.

Sora estava sentada no alpendre do terraço do Kaleido Star, já era tarde e o dia estava realmente fresco, fora avisada por Sara que dali a três meses o Kaleido comemoraria vinte e cinco anos, dos quais cinco ela já estava ali.

Era incrível como o tempo passara e as coisas mudavam. Tudo começou com uma desastrada tentativa sua de ajudar uma atriz a não se machucar, depois mais coisas vieram, mas o que mais parecia lhe atormentar era o fato de sentir falta e algo. Fizera tantas conquistas, executara a técnica fantástica, fora parceira de Layla, depois enfrentara o desafio de ser a parceira do Leon e executar a técnica angelical, tornando-se uma verdadeira estrela, mas sentia-se confusa, sabia faltar algo, mas não sabia onde buscar.

-Isso não vai me levar a lugar algum; ela falou mais para si do que para alguém.

-Sem duvidas, sentada aqui não tem como você fazer alguma coisa mesmo; uma voz meio divertida soou bem próxima ao seu ouvido, fazendo-a se assustar e se desequilibrar.

Teria caído do alpendre se não fosse prontamente segurada pela cintura, por aquele que falara. Ao erguer a cabeça, seus rostos estavam a milímetros de distancia e a face da jovem ficou rapidamente vermelha, ao notar que com o susto agarrara-se ao pescoço da pessoa.

-Desculpe Sora, não queria lhe assustar; Leon falou com um sorriso sereno, fitando a face corada da jovem.

-Ahn! B-bem…; aquela aproximação não era muito favorável para ajudar na formação de algum pensamento coerente. –E-eu...; Só então se dera conta de que ainda estava agarrada ao pescoço dele e que ele ainda lhe segurava pela cintura, fazendo-a corar mais ainda; -Her! Me desculpe; ela disse tirando os braços do pescoço dele.

-Tudo bem, a culpa foi minha por tê-la assustado; ele falou com seriedade, ajudando-a descer do alpendre, embora estivesse adorando a situação.

-Ah! Tudo bem; ela falou com um doce sorriso.

-Vim lhe avisar que o Carlos quer todos reunidos no ginásio, para falar sobre a nova peça; ele explicou.

-Quando?

-Bem, precisamente agora; ele falou olhando no relógio de pulso.

-Então é melhor irmos, antes que ele surte; ela disse abafando um riso, enquanto pegava na mão de Leon para puxá-lo para dentro do prédio, deixando-o momentaneamente estático, para depois acompanhá-la.

IV – Um retorno inesperado.

Todos já estavam se reunindo no ginásio principal quando Sora e Leon chegaram de mãos dadas. Mei e Rosetta vieram até os dois animadas, mas estacaram com um olhar curioso para a cena.

-E então, ficaram sabendo que Mia já preparou o novo roteiro? – Mei comentou.

-Já; Leon respondeu indiferente.

-Bem se todos estão aqui, acho que podemos começar; Carlos falou, mas foi interrompido.

-Desculpe o atraso, acabei de chegar; a voz de Yuri soou calma, vinda da porta, chamando a atenção de todos.

Enquanto o jovem entrava calmamente no ginásio vestindo um simples conjunto de calça e blusa branca. Os cabelos rebeldes apenas acentuavam os traços marcantes do acrobata. Que também teve que se controlar diante da cena mais indesejada por ele e parecia que a ‘Sra’ sabia de alguma coisa.

-“Tenho que agir rápido”; ele concluiu.

-Como vai Jovem Yuri? – Sora perguntou com um doce sorriso, a mais de seis meses que não via o amigo.

-Melhor agora! Obrigado por perguntar; ele falou com um sorriso charmoso, fazendo algumas garotas no fundo da sala suspirarem e um certo acrobata arquear uma sobrancelha.

-Bem, agora que todos estão aqui; Carlos começou, mas foi interrompido novamente, fazendo uma veinha saltar na testa. – Mais essa agora; ele resmungou.

-Desculpa o atraso Carlos; Mia falou entrando no ginásio abraçada como sempre a seu laptop.

-O próximo que me interromper é demitido; o chefe falou estressado.

-Alguém não dormiu do lado certo da cama essa noite pelo visto; Mei comentou abafando o riso, mas parou ao receber um olhar envenenado do chefe.

-Bem chamei todos aqui, para anunciar a nova peça em comemoração aos 25 anos do Kaleido Star. Explique-nos sobre o roteiro Mia; o chefe mandou.

-Essa peça será a mais perfeita a ser produzida aqui; ela disse tomando a frente do chefe e ajeitando os óculos. –Será dividida em três atos; ela começou.

-Primeiro serão os acrobatas, segundo um conto e terceiro como sempre o grande enceramento; Carlos falou se intrometendo.

-Her! Não é bem isso; Mia falou.

-Então?- Ele perguntou com uma veinha saltando da testa.

-Os três atos se chamarão respectivamente Deliriun, Equilibriun e Amore; ela começou. –Deliriun é o primeiro ato. Conta à história de um jovem, que cansado de viver em sua cidade, onde as pessoas eram sempre as mesmas e nunca saiam da rotina, decidiu ir embora e procurar novos lugares para conhecer. Ele busca o sonho de conhecer um mundo onde as coisas tenham vida, cor e sentimentos. Por sentir-se perdido uma voz o guia pelos caminhos certos a seguir, até ele encontrar um novo mundo e descobrir uma nova maneira de viver; Mia falou, notando que todos prestavam muita a atenção.

-Que lindo; Sora comentou e Leon apenas assentiu em silencio.

-Equilibriu é a segunda parte, após realizar o sonho de conhecer um mundo melhor, esse jovem decide voltar para a casa, embora seja algo realmente difícil, pois aprendera a amar e a viver bem nesse mundo. Quando chega em sua casa, encontra tudo exatamente como antes, preto e branco, triste por tal fato, ele ouve a mesma voz que lhe guiou, sugerir que pouco a pouco criasse seu próprio mundo. Ele passou a convencer as pessoas de que a vida pode ser diferente e que eles podem sonhar. Mudando assim a maneira daquelas pessoas de viver; Mia falou.

-Parece legal; Rosetta comentou com Mei.

-Amore é o fim. Embora esse jovem se sentisse feliz com a nova vida que levava, depois de criar o seu mundo. Ele sentia falta de algo. Aquela voz que sempre o guiou desaparecera. Desesperado ele sai em busca da origem da voz, passa dias e noites procurando, até que uma noite quando já estava desistindo de encontra-la, ele avista uma jovem cantando em meio aquela floresta e reconhece sua voz, mas ao se aproximar a jovem desapareceu e com isso fez-se o dia. Todas as noites que ele se aproximava, ela se ia;

-Que triste; Sora murmurou, sendo observada atentamente por duas pessoas.

-Eles eram como o Sol e a Lua, toda vez que o jovem tentava se aproximar ela ia e nem mesmo ele conseguia observa-la de longe, e noite após noite isso se repetia. Até ele ver-se apaixonado pela jovem cujo destino estava marcado para nunca cruzar com o dele, tornando aquele sentimento impossível; Mia continuou.

-Não gostei; Sora resmungou emburrada, quando viu Mia olhar pra ela e sorrir.

-Imaginei que fosse dizer isso, Sora; a roteirista falou sorrindo diante do olhar confuso da garota; - Pois bem, só existe uma forma dos dois ficarem junto, mas eles só tem uma chance a cada duzentos anos; Mia falou.

-Um eclipse lunar; Leon respondeu de forma interessada.

-Exato! –Mia falou contente, finalmente alguém entendera o que ela estava falando desde o começo. – Exatamente, no momento do eclipse Sol e Lua se transformam, para poderem se encontrar; ela falou.

-Então tem que ser uma técnica a altura; Sora comentou com ar pensativo.

-Bem, os papeis serão divididos assim; Carlos começou. – As pessoas da cidade serão divididos em dois grupos liderados por Mei e Rosetta, as pessoas do outro mundo ficaram num grupo com a Anna, Sora vai entrar como a Lua e por fim o papel de Sol será feito o teste; Carlos falou, voltando-se para os dois acrobatas. – Daqui dois dias isso será decidido, comecem a treinar.

-“Deliriun, Equilibriun e Amore, porque tenho a impressão de conhecer essa história”; Sora pensou intrigada, vendo Mia sair do ginásio. –Mia espera; ela chamou correndo atrás dela.

-Sim, o que foi Sora? –ela perguntou.

-Você não disse o nome da peça; Sora falou curiosa.

-Ah! Sabia que estava esquecendo de alguma coisa; Mia falou dando um tapa na testa. –Ela se chama A Lenda.

-Tá certo; ela respondeu. –Até mais Mia; Sora falou se despedindo dela.

Enquanto isso...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Ter Jul 10, 2007 4:28 am

-Há quanto tempo, Yuri? –Leon falou com calma.

-Bastante, mas como vai? – o jovem perguntou.

-Perfeitamente bem; Leon respondeu seco.

-Bem se não se importa tenho que ir treinar; Yuri respondeu, saindo e acenando com a mão.

-Vai tentar voltar? –Leon perguntou curioso, antes do acrobata chegar até a porta.

-Isso te incomoda? – Yuri perguntou com um sorriso sádico.

-Pelo contrario; ele respondeu. –“ Isso me estimula a te vencer”; ele completou em pensamento.

Uma corrente passou pelo olhar dos dois, que se fitavam em desafio. Não era preciso ser vidente para saber que o papel de protagonista não era o único objeto da obsessão daqueles dois.

V – A Ultima Técnica.

Como Sora só poderia treinar quando seu parceiro fosse escolhido, ganhou o dia de folga. Resolvendo por fim, voltar até o seu dormitório, encontrando lá um espírito espertinho a lhe esperar.

-Como foi o dia Sora? – Fool perguntou curioso.

-Bem, o jovem Yuri já voltou de Paris; ela comentou.

-Entendo; o espírito do palco falou sério.

-Fool! Ta acontecendo alguma coisa, você esta estranho? – Sora perguntou preocupada.

-Tenho algo para te falar; ele começou, vedo-a se sentar na cama.

-E o que é?

-É algo sobre seu ultimo desafio; Fool disse.

-Mas...;

-Me deixe terminar, é muito importante; ele disse bem sério.

-Fool você ta me assustando; Sora falou, nunca o havia visto assim.

Logo o espírito do palco abriu os braços, fazendo com que uma linha dourada surgisse a sua frente e junto dela um globo esverdeado.

-A constelação de peixes finalmente se libertou da rende que lhe tirava a liberdade; ele começou sério. –O brilho emanado por escorpião mostra-se empenhado em mostrar seu esplendor para conquistar; ele prosseguiu. –E a flecha do arqueiro esta sendo o mais duramente retesado, embora o alvo ainda não esteja definido; ele completou.

-“O que isso quer dizer?”; Sora pensou franzindo o cenho. –O que isso quer dizer Fool?

-Mais uma vez a Roda da Fortuna vira e um caminho desconhecido abre-se a sua frente, quando a sua vida imitar a arte, você saberá o que fazer; ele explicou. – Por hora, espero o desfecho de outros destinos, antes do seu se findar;

-A vida imitar a arte; ela murmurou. – Fool a Mia já preparou a peça de comemoração do Kaleido Star; Sora comentou animada.

-E como se chama? – o espírito do palco perguntou curioso.

-A Lenda; ela falou. – A Mia disse que vai ser dividido em três atos chamados Deliriun, Equilibriun e Amore; ela completou.

-“Uhn! As coisas estão se encaminhando mais rápido do que eu imaginei”; o espírito do palco pensou.

-E eu vou fazer o papel da Lua, mas o Sol ainda vai ser decidido. O Carlos mandou ser preparado o teste, pelo visto o Jovem Leon e o Jovem Yuri vão fazer; ela falou com ar empolgado.

-“Realmente as coisas estão rápidas de mais”; ele concluiu. –Mas na sua opinião, quem é o mais adequado para ser seu parceiro? – ele perguntou sério.

-Uhn! – ela pareceu pensativa. –Não sei, os dois são meus amigos e sempre me dei bem atuando com os dois, acho que não saberia escolher; ela respondeu com um sorriso sem graça.

-“Previsível”; ele pensou. –“Só me pergunto como ela não consegue prestar atenção nisso”; ele pensou exasperado.

-Fool! – Sora o chamou.

-O que foi?

-Ta fazendo aquela cara estranha de novo; ela falou apontando pra ele.

-Bem, agora que resolvemos isso, você poderia ir tomar um b-...; Ele foi cortado pela garota que o jogava janela afora.

-Eu não mereço; ela resmungou
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Ter Jul 10, 2007 4:29 am

bem pessoal o i capitulo do meu fic acaba por aqui agora vem a musica do encerramento

Ha uma lenda que trazida pelo vento me ensina a sorrir
(nasce o dia aprece sora de costas, vestida com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star).

E me dá forças para viver, onda as borboletas vão livres e é assim
(aparece todo o elenco do kaleido star a fazer acrobacias e a saltar)

nenhum coração é triste e assim nascem flores coloridas no meu jardim, nascem flores coloridas no meu jardim, e assim nascem flores coloridas no meu jardim
(aparecem os rostos do Leon e do Yuri a olharem um par o outro em sinal de desafio)

Ha uma lenda onde existe um sentimento que nunca vai acabar que levo dentro de min onde as dores nunca chegam , onde não existe medo, e é assim é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir
(aparece sora a correr na praia com um vestido branco e um chapéu de palha de repente ele voa para o sol e tudo se enche da luz do sol)


Faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões, que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, faça que o anjo, que vive nos seus sonhos, cuide da criança que ha em nos,e quando cresça, nunca se esqueça, porque perdera o seu coração
(aparece uma rapariga de rosto tapado pelos cabelos castanhos encaracoladas com vestido cor de rosa cheio de folhinhos e assegurar numa sombrinha também cor de rosa)


Ha uma lenda que a vovo contava sempre e que eu vou te contar para você poder sonhar onde a maldade perde e eu bem que sempre vence e é assim só quem sonha é feliz até ao fim só quem sonha é feliz até ao fim, so quem sonha em feliz até ao fim
(aparece sora, Leon, Yuri, e a rapariga do vestido cor de rosa a fazer uma vênia)

faça a lenda valer pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, façam que o anjo que vive no seu coração, cuide da criança que ha em nos e quando cresça nunca se esqueça porque perdera o seu coração
(aparece Sora, Leon, Yuri, Rosseta e a rapariga cor de rosa a voarem no ar, com as asas de um anjo no ar e foll a rodar entre eles e a lançar o seu pozinho dourado)


faça a lenda valer a pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valer a pena, essa lenda valer a pena
(aparece sora a balouçar em cima de um trapézio muito sorridente e foll no ombro dela)


faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valera pena faça, essa lenda valera pena
(aparece sora de costas a noite com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star e de repente aparece o pessoal do kaleido star a correr para ela e o fool a lançar o seu pozinho dourado e a voar até ao topo do kaleido star)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
layla_killian
parceira de 1 estrela
parceira de 1 estrela
avatar

Número de Mensagens : 47
Data de inscrição : 11/07/2007

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qua Jul 11, 2007 6:24 pm

NAO ME CANSO DE DISER SEMPRE MEMSO cheers
TA LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO cheers
TA MARAVILHOSOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO cheers
TA FANTASTICOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO cheers
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 3:59 am

aqui vai meu fic de kaleido star mas fica primeito com a musica da abertura

Ha uma lenda que trazida pelo vento me ensina a sorrir
(nasce o dia aprece sora de costas, vestida com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star).

E me dá forças para viver, onda as borboletas vão livres e é assim
(aparece todo o elenco do kaleido star a fazer acrobacias e a saltar)

nenhum coração é triste e assim nascem flores coloridas no meu jardim, nascem flores coloridas no meu jardim, e assim nascem flores coloridas no meu jardim
(aparecem os rostos do Leon e do Yuri a olharem um par o outro em sinal de desafio)

Ha uma lenda onde existe um sentimento que nunca vai acabar que levo dentro de min onde as dores nunca chegam , onde não existe medo, e é assim é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir
(aparece sora a correr na praia com um vestido branco e um chapéu de palha de repente ele voa para o sol e tudo se enche da luz do sol)


Faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões, que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, faça que o anjo, que vive nos seus sonhos, cuide da criança que ha em nos,e quando cresça, nunca se esqueça, porque perdera o seu coração
(aparece uma rapariga de rosto tapado pelos cabelos castanhos encaracoladas com vestido cor de rosa cheio de folhinhos e assegurar numa sombrinha também cor de rosa)


Ha uma lenda que a vovo contava sempre e que eu vou te contar para você poder sonhar onde a maldade perde e eu bem que sempre vence e é assim só quem sonha é feliz até ao fim só quem sonha é feliz até ao fim, so quem sonha em feliz até ao fim
(aparece sora, Leon, Yuri, e a rapariga do vestido cor de rosa a fazer uma vênia)

faça a lenda valer pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, façam que o anjo que vive no seu coração, cuide da criança que ha em nos e quando cresça nunca se esqueça porque perdera o seu coração
(aparece Sora, Leon, Yuri, Rosseta e a rapariga cor de rosa a voarem no ar, com as asas de um anjo no ar e foll a rodar entre eles e a lançar o seu pozinho dourado)


faça a lenda valer a pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valer a pena, essa lenda valer a pena
(aparece sora a balouçar em cima de um trapézio muito sorridente e foll no ombro dela)


faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valera pena faça, essa lenda valera pena
(aparece sora de costas a noite com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star e de repente aparece o pessoal do kaleido star a correr para ela e o fool a lançar o seu pozinho dourado e a voar até ao topo do kaleido star)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 4:02 am

e hoje é especial teremos cinco capitulos no episodio de hoje

Capitulo 2: Ajuda Inconsciente.

I – Yuri.

Ele dissera que iria treinar, mas não parecia muito disposto a manter-se concentrado. Resolveu por fim passar na sala do chefe já que tinha ainda algumas coisas para resolver.

-Está ocupado? –ele perguntou para Carlos, ao passar em frente à sala do mesmo e encontrar a porta entreaberta.

-Não, pode entrar; o chefe respondeu.

-O que está fazendo? – o acrobata perguntou curioso.

-O planejamento para a exibição da peça, Mia esteve me passando parte do roteiro e como a peça será exibida somente um dia, estava fazendo alguns cálculos; ele respondeu.

-Só um dia, porque? – Yuri perguntou confuso.

-Exatamente daqui a três meses, no dia de comemoração dos 25 anos do Kaleido Star, ocorrerá um eclipse lunar, que poderá ser visto em determinado horário por ser verão, então Mia pensou em seguir o mesmo padrão do cenário que a peça do Lago dos Cisnes, abrindo as comportas para executar a técnica principal; ele respondeu.

-Entendo! Mas para uma peça assim, tem de ter uma técnica à altura? – ele perguntou, com um olhar interessado.

-Sem duvidas, mas isso não é meu departamento; ele respondeu com ar cansado.- Mas me responda, está realmente certo de que quer voltar? –Carlos perguntou com um olhar curioso.

-Pode ter certeza que sim; ele respondeu convicto.

-Entendo, mas você deveria estar treinando ou está tão confiante assim de que vai vencer o Leon? – o chefe perguntou com um meio sorriso.

-Ha mais coisas em jogo aqui do que o papel principal, mas não pretendo ser arrogante a ponto de achar que isso já esta ganho, vou lutar até o fim; ele respondeu.

-“Realmente ele mudou muito depois que voltou de Paris”; Carlos pensou. –Como foi em Paris?

-Bem, acredito que muitas coisas vão ser diferentes a partir de agora; Yuri respondeu. –Enfim, não quero mais atrapalhar, você tem coisas demais pra fazer e eu tenho que treinar; ele completou. – Até mais.

-Até; Carlos respondeu voltando a olhar os papeis, mas parou por um momento. –“Fico me perguntando se a Sora já percebeu isso?”.

II –Leon.

Mal sairá do ginásio já pensava em uma maneira de criar uma técnica capaz de lhe garantir a vitória no teste que ocorreria dali dois dias, mas infelizmente nada lhe ocorria. Seus pensamentos pareciam voar para qualquer lugar bem distante dali.

-“Como o Sol e a Lua”; ele pensou, quando notou estar novamente no terraço do Kaleido Star. –“Porque tenho a nítida impressão de conhecer essa história?”; ele se perguntou. Olhando com calma as ondas lá em baixo quebrarem-se nas pedras. –“O que será que ela está fazendo agora?”; ele se perguntou, mas parou balançando a cabeça para os lados. –“Agora preciso me concentrar no teste, por mais difícil que seja”; ele concluiu, voltando para o ginásio treinar.

No ginásio...

O local estava um completo deserto, o resto do elenco provavelmente deveria ter se distribuído nas outras salas, deixando aquele prédio completamente livre. Já vestido com a roupa de treino, Leon subiu no andaime que lhe encaminharia até a base do trapézio.

A barra do trapézio jazia fria, tão fria quanto a si mesmo, alguns anos atrás. Num impulso suave sentiu a barra tremer sobre a pressão de suas mãos, indo e vindo, deixando que seus pensamentos voassem e sua mente fosse para longe, sem ao menos prestar atenção nas acrobacias que já fazia de olhos fechados.

Depois de exatos três anos ainda se perguntava quando tudo começou, se fora por seu jeito arrogante ou a docilidade dela. Apenas, não sabia. Mais um impulso fê-lo trocar de barra, passando para a outra extremidade do ginásio como se voasse com leveza entre um e outro trapézio. Não sabia o que fazer e como sempre Carlos não falara nada sobre que tipo de técnica que seria avaliada no teste. Quando sem perceber, perdera a concentração e não alcançaria o trapézio se um par de mãos delicadas não o houvesse segurado.

Leon olhou confuso para cima, encontrando a jovem de madeixas rosadas lhe observando com um olhar sereno.

-Parece confuso, Jovem Leon; ela comentou, vendo-o abrir a boca para falar algo, mas voltar a fechar sem emitir som algum. –Isso é normal, ainda mais quando não temos certeza de qual caminho é o certo a seguir; ela continuou.

Agora eles jaziam apenas balançando no trapézio, com Sora o segurando de cabeça pra baixo, indo e vindo por toda a extensão do ginásio.

-Mas quando a vida imitar a arte, você saberá o que fazer; ela completou com um doce sorriso, dando um grande impulso e soltando os braços de Leon, que automaticamente segurou-se no outro trapézio, mas ao voltar seu olhar para onde a jovem estivera não encontrou ninguém.

-“Quando a vida imitar a arte”; ele pensou. –“Agora entendo a verdadeira história por trás dessas lenda”; ele pensou dando um terno sorriso. –“Obrigado Sora, você me ajudou muito mais do que eu poderia merecer, agora só preciso treinar”; ele concluiu concentrando-se no treinamento.

III – Sora.

Alguns minutos atrás...

Depois de jogar Fool pela janela, Sora ficara andando de um lado para outro no apartamento, sem conseguir ficar quieta ela resolveu dar uma volta nos ginásios e ver o ensaio do pessoal, como o seu só começaria dali a dois dias, não podia fazer nada quanto a isso.

Como que por intuição, ela começou a seguir até uma das salas, onde ouvia barulhos feitos pelo trapézio. Uma frestinha na porta mostrava quem estava lá dentro treinando. Era Leon.

-“Ele parece confuso, que estranho, nunca vi o Jovem Leon assim”; Sora pensou, ao vê-lo com o olhar distante enquanto trocava as barras. A jovem olhou para todos os lados, antes de entrar silenciosamente no ginásio. –“Infelizmente não posso ajudar nem um nem outro no teste, mas conversar não vai fazer mal algum”; ela pensou.

Embora estivesse saltando de trapézio em trapézio. Leon não notou que errara o tempo de um pra outro e cairia, mas Sora o segurou antes disso.

-Parece confuso, Jovem Leon; ela comentou, vendo-o abrir a boca para falar algo, mas voltar a fechar sem emitir som algum. Os olhos violeta do rapaz tinham um brilho confuso, porém intenso. Hipnotizante. –Isso é normal, ainda mais quando não temos certeza de qual caminho é o certo a seguir; ela continuou. Não sabia ao certo o porque fizera aquilo apenas sentia a necessidade de faze-lo. –Mas quando a vida imitar a arte, você saberá o que fazer; ela completou sorrindo, dando um impulso e o soltando em seguida. Antes de sair do ginásio o viu olhar para o trapézio e não encontra-la, mas o viu sorriso e não pode deixar de sorrir também.

Sem fazer barulho algum Sora saiu do ginásio. Continuou caminhando por entre os prédios, porém ao virar a esquerda acabou por trombar com alguém que vinha pelo mesmo caminho, teria ido ao chão se o mesmo não a houvesse segurado, ficando numa situação um tanto quanto constrangedora.

-Desculpe! – ela falou erguendo os olhos, deparando-se com um par de orbes violeta a fitando.

-Tudo bem, mas você não se machucou, Sora? – Yuri perguntou preocupado.

-Não, estou bem; ela respondeu dando um sorriso sem graça e afastando-se um pouco, para ele soltá-la.

-Ahn! Você estava treinando? – Yuri perguntou curioso, porém com uma pontada de decepção ao vê-la se afastar.

-Estava só dando uma volta, por enquanto não posso treinar até o resultado do teste sair; ela respondeu com a mão na cabeça dando um sorriso sem graça.

-Entendo!

-E você? –ela perguntou, vendo-o com as roupas de treino.

-Eu pretendia treinar, mas não estou com cabeça pra isso; ele respondeu ficando sério.

-Quer dar uma volta? –ela perguntou displicente.

-Claro! –Yuri respondeu prontamente.

Logo os dois começaram a caminhar, atravessando num completo silencio a ponte que os levaria a praia. Um cálido vento passou por suas faces, fazendo-os fechar os olhos. Um suspiro relaxado foi emitido pelos dois.

-Como foi a viajem, Jovem Yuri? – Sora perguntou, enquanto eles caminhavam pela areia.

-Melhor do que eu esperava; ele respondeu com um doce sorriso. –Acabei descobrindo coisas das quais não pensava que podiam existir; ele respondeu misteriosamente.

-Que bom,você parece mesmo diferente; ela respondeu eloqüente.

-“Ela percebeu”; Yuri pensou observando de esguelha a jovem. –Como assim, diferente?

-Não vejo tristeza ou culpa em seus olhos, diferente de quando você partiu; ela respondeu, parando e voltando seu olhar para ele.

-Sora, eu...; Ele ficou sem saber o que responder, mas ela continuou.

-Por um tempo eu pensei que você não fosse mais voltar; ela falou continuando a caminhar. – Mas eu achei normal, às vezes a gente precisa de um tempo desligado de tudo para achar o caminho certo a seguir;

-Realmente, acho que precisava mesmo disso; ele concordou.

-Sabe, um amigo um dia me disse o seguinte; ela começou. –Quando a vida imitar a arte, nós saberemos o que fazer; ela completou sorrindo. –Sabe! Eu ainda não entendo o que isso quer dizer, mas quem sabe para você isso possa fazer sentido; ela disse, voltando-se para ele sorrindo, mas parou ao ver Yuri parado com o olhar vago.

-“Quando a vida imitar a arte”; ele pensou, lembrando-se de tudo que vivera até agora. –“Um momento de confusão, cansando de viver num mundo parado e fugido para algo novo, alguém que lhe guie e que lhe mude o modo de viver, uma busca e um encontro. Como não pensei nisso antes”; ele concluiu, sorrido para a jovem que o olhava com confusão. –Muito obrigado Sora; ele falou.

-Uh! Pelo que? –ela perguntou confusa.

-Por sempre me dar à mão; ele respondeu, se aproximando da jovem e lhe abraçando.

Um ato impulsivo, porém bem significativo. Sora ficou levemente corada, ainda mais ao corresponder o abraço. Não entendia o que Yuri queria dizer, apenas sentia que as coisas seriam bem diferentes. Com calma eles se afastaram, Yuri deu um sorriso sem graça por ver a jovem constrangida.

-Ah! Jovem Yuri não é melhor você começar a treinar, falta pouco tempo para o teste e eu não queria ser responsável por atrapalhar você; Sora respondeu sem graça.

-Você não me atrapalha em nada, Sora; ele disse com um sorriso charmoso, se aproximando da jovem e erguendo-lhe o rosto delicadamente.

-Jovem Yuri; ela murmurou, com a face enrubescida.

-“Ainda não”; ele pensou. –Vamos voltar então; ele completou com um olhar calma, caminhando ao lado da jovem


Última edição por em Qui Jul 12, 2007 4:27 am, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 4:03 am

IV – Espionagem.

Não muito longe dali um grupo de quatro garotas vestidas com capas pretas e usando cada uma um binóculo, observavam o casal na praia.

-Vocês não acham que ta rolando alguma coisa entre eles, acham? –Rosetta perguntou, voltando-se para Mei, Anna e Mia.

-Não sei; Mia comentou, com ar pensativo.

-Bem, se tratando da Sora é difícil saber o que ela sente; Anna respondeu.

-Como assim? –Mei perguntou curiosa.

-Ahn! Como posso explicar; a acrobata falou pensativa. –Bem, desde o começo a Sora e o Yuri eram grandes amigos, apesar de todas as coisas que aconteceram antes da Técnica Fantástica, por isso é difícil saber se ela sente alguma coisa por ele que vá alem da amizade; ela completou.

-Uh! – Mei murmurou.

-O que foi? –Rosetta perguntou curiosa.

-Vocês viram o que aconteceu mais cedo quando a Sora e o Leon chegaram; a acrobata comentou.

-Não; Mia e Anna responderam.

-Eu sei; Rosetta falou empolgada. –Eles estavam de mãos dadas; ela respondeu.

-O que? – Mia e Anna quase gritaram.

-Hei! Falem mais baixo, vai que eles nos ouvem; Mei falou com um olhar mortal.

-Ta certo, mas será que ta rolando alguma coisa entre a Sora e o Leon, então? – Anna comentou.

-Ai, ai, ai; Mia murmurou balançando a cabeça desesperada.

-O que deu nela? –Mei perguntou com uma sobrancelha arqueada.

-É muito difícil; Mia começou. –Como que eu posso escrever o roteiro se eu não sei o que se passa na cabeça dos protagonistas; ela completou, vendo as outras três caírem no chão com uma gotinha. –O que foi?

-E você ainda pergunta, nós aqui pensando que você tava passando mal e você da uma dessa; Mei falou revoltada.

-Her! Desculpe; ela falou sem jeito.

-Mas então, a gente precisa descobrir por qual dos dois a Sora ta apaixonada; Rosetta falou empolgada.

-Mas e se não for nenhum dos dois; Mei sugeriu, mas engoliu em seco ao receber um olhar entrecortado das outras três. –Her! É só uma sugestão;

-Bem, nós precisamos investigar; Anna falou com ar pensativo, colocando a mão no queixo.

-Meninas, eles já estão quase no Kaleido Star; Rosetta falou apontando para os dois.

-Vamos; Mei falou saindo correndo, sendo seguida pelas outras três, que pareciam bem dispostas a descobrir, quem fora o escolhido.
V – O Admirador.

Sem ter mais o que fazer, Sora resolveu voltar para o apartamento, assim que se despediu de Yuri.

-Vejo que já voltou; Fool falou, aparecendo ao lado da jovem, que acabara de se jogar na cama.

-É; ela respondeu meio vaga.

-Aconteceu alguma coisa, Sora? – Fool perguntou curioso.

-Mais ou menos; Sora respondeu, olhando pro teto.

-E o que seria esse mais ou menos? – o espírito do palco perguntou curioso.

-Não sei, tenho a impressão de que ajudei o Jovem Leon e o Jovem Yuri de alguma forma; ela comentou.

-Como assim? – Fool perguntou, franzindo o cenho.

-Eu encontrei com o Jovem Leon no ginásio, ele parecia confuso; ela começou. –Daí eu resolvi conversar com ele;

-Só isso?

-Não, lembrei daquilo que você me falou e falei pra ele também; Sora respondeu. –Só não consigo entender o porque falei isso; ela completou.

-“As coisas estão indo mais rápidas do que imaginei”; o espírito do palco pensou. –Mas e o Yuri, o que tem a ver com isso?

-Encontrei com ele depois que sai do ginásio, fomos das uma volta na praia; ela respondeu, sem conseguir evitar enrubescer ao lembrar-se do abraço. –E acabei falando a mesma coisa pra ele; ela completou.

-Uh! – ele murmurou.

-Fool, você sabe de alguma coisa e não esta querendo me contar? – Sora perguntou com um olhar curioso.

-Impressão sua Sora; ele respondeu suando frio.

-Fool; a acrobata falou em tom de aviso.

-Sora, me responda uma coisa; Fool começou mudando de assunto, adquirindo uma expressão seria.

-O que? –ela perguntou, sentando-se em cima da cama, sobre as próprias pernas.

-O que você sente pelo Yuri? –o espírito do palco perguntou.

-Eu...;

-SORA! –a voz de Rosetta e Mei soou atrás da porta.

-Já vou; Sora falou, levantando-se e indo abrir a porta.

-“Pelo visto não vai ser hoje que eu vou saber qual dos dois é”; Fool pensou frustrado.

-O que foi meninas? – Sora perguntou, vendo as duas entrarem no apartamento quase a derrubando na entrada.

-Conte-nos tudo e não nos esconda nada; Mei falou puxando uma cadeira para sentar-se.

-Do que você ta falando, Mei? – Sora perguntou assustada.

-Ai; Mei resmungou, recebendo um chute de Rosetta por baixo da mesa. Ao voltar-se pra ela com um olhar assassino, viu a mesma mandando ela ficar quieta.

-Ahn! Bem, nós queremos saber se você já pensou em uma técnica pra peça nova; ela desconversou.

-Não, ainda não consegui pensar em nada; Sora respondeu desanimada.

-Mas conta pra gente, você tem alguma preferência? – Rosetta perguntou casualmente.

-Quanto ao que? –Sora perguntou confusa.

-Oras; Mei falou bufando. –Quanto a quem vai ser o seu parceiro; ela falou a queima roupa.

-Uh! – Sora murmurou pensativa. –Não; ela respondeu sorrindo, fazendo as duas caírem da cadeira com gotinhas da cabeça.

-Como não? –Mei perguntou, com uma veinha saltando na testa.

-Eu não sei, não sou eu que vou escolher quem vai ser meu parceiro; ela respondeu dando de ombros.

-Mas...; Rosetta foi contestar, mas foi interrompida.

-SORA! – a voz de Ken soou atrás da porta.

-O que foi Ken? – Sora perguntou curiosa, ao abrir a porta e encontrar o jovem com um enorme buquê de rosas vermelhas na mão.

-Acabou de chegar e é pra você; ele falou entregando a ela.

-Quem mandou, Sora? – Rosetta perguntou empolgada, olhando por cima do ombro da jovem pra tentar enxergar o cartão.

-Não sei; ela murmurou tentando ler o cartão.

Curiosos Ken, Mei e Rosetta apenas observavam a jovem tentar abrir o pequeno envelope branco e matar a curiosidade unânime deles.

-“Há mais coisas entre o céu e a terra, do que supõe nossa vã filosofia”; ela leu em pensamentos. –“O que isso quer dizer?”; a acrobata se perguntou.

-E então, Sora? – Rosetta perguntou impaciente.

-“Do seu maior admirador”; ela concluiu a leitura em pensamentos. –“Quem poderá ser?”; ela se perguntou confusa.

-Quem é Sora? – foi à vez de Mei demonstrar sua impaciência.

-Não sei; ela respondeu, fazendo os três caírem no chão.

-Como assim? – Mei perguntou com os dentes arreganhados.

-Isso mesmo, não tem assinatura; ela respondeu mostrando o cartão, que quase foi arrancado de sua mão por Mei.

-Uh! – a acrobata murmurou, olhando todos os lados do cartão, procurando alguma pista. –Realmente, não tem assinatura;

-Isso já é meio obvio, não? – Sora falou com a sobrancelha arqueada.

-Bem, meninas eu to indo; Ken falou saindo do quarto acenando para elas.

-Tchau; as três responderam.

-Então Sora, não faz a mínima idéia de quem possa ter mandado? –Mei perguntou com um sorriso maroto.

-Não; ela respondeu dando de ombros.

-Puff; Mei resmungou. –“Como ela pode ser tão devagar?”; ela se perguntou balançando a cabeça descrente. –Rosetta, vamos; ela chamou, puxando a garota para fora do quarto.

-Mas...;

-Tchau Sora; Mei falou, lançando um olhar significativo a jovem.

-Tchau; ela respondeu com uma gotinha na cabeça.

-Admirador Secreto, hein? – Fool falou aparecendo atrás da jovem.

-O que quer Fool? –Sora perguntou desconfiada da cara que ele fazia.

-Nada, mas se você quiser tomar um...; Ele não completou a frase, pois Sora simplesmente o enfiara de cabeça pra baixo dentro de um vaso com água que ela acabara de arrumar para colocar as flores. -So-ra, n-não p-pra res-pi-rar; ele falou se debatendo dentro do recipiente.

-Assim você aprende a deixar de ser um pervertido; ela falou indo até a cozinha pegar outro vaso para colocar as flores.

Enquanto isso...

Ken acabara de sair do quarto de Sora e descia com calma as escadas, até ouvir uma voz atrás de si.

-E então?

-Ela não imagina quem seja; ele respondeu sem ao menos voltar-se para trás.

-Obrigado; o desconhecido falou.

-Não me agradeça ainda; o jovem responde seco. –Mas já vou lhe avisando, Sora é minha melhor amiga, por isso não ouse brincar com os sentimentos dela; ele completou.

-Não se preocupe Ken, nunca faria isso; ele respondeu desaparecendo, da mesma forma que surgira.

-“Assim eu espero”; Ken pensou, terminando de descer as escadas, voltando para os ginásios fazer a supervisão do equipamento
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 4:05 am

e agora aqui vai o II capitulo
Capitulo 3: Amadurecimento.

I – O Sonho.

Já era noite e mesmo assim, parecia não se importar com o vento gelado que o mar trazia até si. Fechou os olhos respirando calmamente, enquanto abraçava o próprio corpo, tentando se proteger um pouco do frio.

O vestido branco e leve balançava com o vento, enquanto os pés descalços tocavam o chão de areia. Vez ou outra seus pés ameaçavam afundar, mas não pensava ainda em desistir da caminhada.

Sorriu docemente ao notar uma bela concha marinha ser trazida pelas águas e ser deixada tão perto de si, abaixou-se erguendo parcialmente a barra do vestido para que não tocasse a areia, pegando-a entre os dedos finos e delicados.

Afastou-se um pouco da areia molhada, indo sentar-se numa parte onde a mesma estava mais seca, não correndo o risco de sujar as roupas, sentou-se sobre as próprias pernas, mantendo a concha entre os dedos.

Olhou para o mar a sua frente e notou a alteração no ritmo das ondas, pareciam mais agitadas, aflitas e porque não dizer confusas.

-Como eu; Sora murmurou, deixando que a voz soasse mais como um sussurro levado pelo vento.

Levou a concha até o ouvido, uma baixa e suave melodia do mar ecoava de dentro da concha que a fez fechar os olhos e relaxar. Sorriu.

-Você já tem as respostas; alguém lhe sussurrou ao pé do ouvido.

-Uh! –ela murmurou confusa, voltando-se para trás, porém não encontrou ninguém, perguntou-se intrigada de quem seria aquela voz, mas agora a única coisa que ouvia era o farfalhar de algumas folhas de palmeiras que estavam na praia, balançou a cabeça, estava ouvindo coisas de mais; ela concluiu.

-Você já tem as respostas de que precisa para criar seus próprios caminhos; a voz retornou a sussurrar-lhe. –Basta apenas saber onde procurar!

-Fool, é você? –Sora perguntou, levantando-se assustada, embora não soubesse dizer se a voz era realmente do espírito do palco, ainda assim chamou por ele.

O tempo pareceu parar, o vento continuava a açoitar-lhe a face agora com mais agressividade.

Sora sentiu o coração disparar ao voltar-se para o mar e notar uma onda gigante formar-se e vir em sua direção. Viu-se correndo pela praia quando do nada tudo ficou escuro, sentiu o corpo leve, caindo numa queda livre sem ter onde se segurar. Não sabia se tinha os olhos abertos ou se estava apenas imaginando que assim eles estavam.

-SORA; alguém chamou, lhe segurando pelos braços, lutava desesperadamente para soltar-se, porém os braços estavam presos, ou melhor, quem os segurava não tencionava soltar-lhe. –Calma, sou eu... Rosetta; a acrobata falou, tentando acordá-la.

-Rosetta? –Sora falou, abrindo os olhos e vendo a garotinha aflita. –O que foi?

-Você estava gritando, o Fool tentou te acordar, mas não conseguiu, então foi me chamar; ela respondeu, levantando-se da beira da cama para que Sora pudesse se levantar.

- Perdoa me por assustá-la Rosetta, acho que foi só um pesadelo; Sora falou, levando a mão até a testa e sentindo-a molhada e fria, como o corpo todo.

-Você não parece bem; Rosetta falou, sentando-se na beira da cama. –Quer falar sobre o sonho?

-Foi tudo muito estranho; Sora começou. –Eu estava na praia, tive a impressão de que alguém falou comigo, depois uma onda gigante quase me acertou; ela completou, sentindo os pelos do braço se eriçarem.

-Nossa; Rosetta murmurou espantada. –Sabe Sora, acho que você não deve esquentar a cabeça com isso, foi só um pesadelo; ela tentou tranqüilizá-la.

-Acho que você tem razão, devo ter ficado pensando demais nessas coisas e vai ver que foi isso; Sora falou casualmente.

-Nessas coisas? Que coisas? –Rosetta não resistiu em perguntar.

-Rosetta, não sei o que tá acontecendo comigo; Sora falou, deixando-se cair na cama. –Tô me sentindo estranha; ela confessou.

-Como assim? –Rosetta perguntou confusa.

-Não sei, mas tem algo em mim que está errado, não sei o que é, mas tem; ela falou, dando um suspiro frustrado. –E aquelas rosas também não me ajudaram a chegar a alguma resposta concreta;

-Você suspeita que seja algum conhecido? Não, sei... Imagina quem possa ser? –Rosetta perguntou intrigada. –“Ou é o Leon ou é o Yuri. Só pode ser um dos dois, mas se ela já suspeitar de alguém fica mais fácil saber qual dos dois ela escolheria como parceiro”; ela pensou, lembrando-se do que ela e as outras haviam conversado mais cedo.

-Não faço idéia de quem seja e que por sinal seja fãn de Shakesperare; ela respondeu meio sem pensar, mas a verdade é que desde que recebera o buquê de rosas estava se perguntando quem era fãn do escritor o suficiente para usar uma de suas mais celebres frases como assinatura.

-Shakespeare? –Rosetta perguntou intrigada.

-Há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia. Sim, é Shakespeare; ela falou.

-Como você sabe? –a garotinha perguntou, nunca a viu com um livro na mão, muito menos sabia que ela lia esse tipo de livro para identificar assim a frase.

-Li uma crônica que a Mia escreveu um dia desses, baseado numa peça de Shakespeare e para ilustrar, ela colocou essa frase como sendo dele mesmo; ela respondeu.

-...; Rosetta bocejou sonolenta. –Bom Sora, acho melhor voltar a dormir, amanhã tem treino e só falta um dia para o teste;

-Teste? Que teste? –Sora perguntou, indo com a jovem até a porta.

-Esqueceu, é? Do jovem Leon e do Yuri, que vai determinar qual deles será seu parceiro; ela explicou.

-Ah! Sim; Sora murmurou lembrando-se do que acontecera à tarde. –Boa noite Rosetta;

-Boa noite; Rosetta respondeu afastando-se.

Sora voltou para dentro do quarto, tornando a deitar-se, fitou o teto, porem não conseguia conciliar o sono logo.

-Fool; ela chamou, porem não houve resposta, pelo contrario, ouviu o som de um ronco baixinho vindo de uma gaveta de roupas intimas. –“Pervertido”; ela pensou, serrando os punhos, sentindo uma veinha saltar na testa, enquanto ia até a gaveta e arrancando o espírito espertinho lá de dentro e o amarrando no teto de ponta cabeça, pendurado em uma cordinha, não sem antes vendá-lo só por garantia.

II – Escolha.

Não eram nem oito horas da manhã quando Carlos entrou em seu escritório, justamente porque o empresário e atualmente um dos maiores investidores do Kaleido Star, mancara uma reunião para as oito e meia.

Não fazia idéia do que o investidor planejava dessa vez, mas algo lhe dizia que passaria por uma saia justa, que não fazia idéia de como iria sair.

-Chefe, o Sr Kenedy já chegou; Emilia, a secretaria dele anunciou pelo interfone.

-Peça a ele para entrar, por favor; Carlos respondeu. –“Vamos ver então o que ele quer”; ele pensou, recostando-se na cadeira, de forma mais confortável.

-Bom dia Carlos; a voz rouca do idoso soou na entrada da sala.

-Bom dia Sr Kenedy, por favor, sente-se; ele falou indicando uma cadeira de frente a sua para ele, estavam separados apenas pela grande mesa de madeira.

-Creio que você deve estar intrigado com essa reunião, não é? –ele perguntou, apoiando os braços em cima da bengala e fitando Carlos com um olhar divertido.

-De certa forma sim; Carlos confessou. –Mas imagino que tenha algo a ver com a nova peça;

-Tem sim; ele assentiu. –Mas antes de te falar o que tenho em mente, poderia chamar a Sora aqui; ele pediu com um olhar enigmático.

-Só um minuto; Carlos falou, pegando o telefone.

-o-o-o-o-

Refeitório...

Todos os integrantes do Kaleido Star já se encontravam para o café da manhã e assistirem mais uma vez Mei brigar com o pobre cozinheiro para que ele mude o cardápio do café para yakssouba do que aquelas coisas sem um pingo de valor nutricional, mas vai entender...;

-Cadê a Sora? –Anna perguntou, sentando-se ao lado de Mia.

-Eu ainda não a vi; Mariun falou.

-Uh! Uh! Uh! –Yunathan completou.

-O que ele disse? –Rosetta perguntou curiosa.

-Ele disse que também não a viu; a garotinha de cabelos loiros respondeu.

(gota)

-Aonde será que ela está? Dormindo não é porque ela não se atrasaria tanto assim; Mei falou impaciente, aproximando-se com uma bandeja cheia de potinhos com o macarrão para ela e para os outros.

-Eu não sei, mas olhem aqueles dois; Mia falou num sussurro, apontando para o outro lado do refeitório.

Yuri e Leon estavam tomando café ali. Sentados na mesma mesa, mas estranhamente pareciam se ignorar. Leon lia um livro, e de vez enquanto bebia vez ou outra um pouco de café. Já Yuri tinha um jornal aberto na frente de si, impedindo que acidentalmente cruzasse olhares com o outro acrobata.

-O que será que deu neles? –Rosetta perguntou.

-Não sabemos; as outras responderam juntas.

-Uh! Uh! Uh! –Yunathan falou, balançando a cabeça em concordância.

-Eles parecem diferentes; Mei falou intrigada.

-Como assim? –Mia perguntou, voltando-se para Mei.

-Não sei, diria que eles transpiram confiança, apesar de se manterem tão indiferentes; ela esclareceu.

-Uh! Interessante; Mia murmurou com os olhinhos brilhando como estrelas.

-Pessoal, mas e a Sora? –Rosetta falou, ainda achava estranho o fato da acrobata ter tido um pesadelo tão forte durante a madrugada.

-Não se preocupem, daqui a pouco ela chega; Sarah falou, juntando-se a elas.

-Sarah, sabe aonde ela está? –Rosetta perguntou.

-Carlos a chamou para uma reunião com o Sr Kenedy; ela respondeu. –Mas acho que não vai demorar muito;

-O que será que o Carlos quer? –Mei perguntou, voltando-se para Mia e Anna que deram de ombros.

-Deve ser algo com relação ao teste; Mariun comentou.

-...; Os outros assentiram concordando, agora só faltava esperar.

-o-o-o-o-
-Com licença; Sora falou batendo na porta.

–Entre Sora; Carlos falou.

Sora engoliu em seco, premonição ou não, sabia que vinha bomba, pra ser chamada àquela hora na sala do chefe, para uma reunião com um grande investidor, ai vinha;

-Bom dia; ela falou timidamente.

-Bom dia; eles responderam.

-Sora, venha até aqui; o empresário idoso chamou, com certa cautela ela se aproximou, vendo-o levantar e ficar de frente para si.

-Estive conversando com o Carlos sobre a nova peça; ele começou. –E como temos dois grandes acrobatas concorrendo ao papel principal;

-...; Sora apenas assentiu, concordando com o que ele falava.

-O que você diria se disséssemos que você será a responsável por escolher um dos dois? –ele perguntou.

Não estava surpresa que ele lhe falasse isso, já há algum tempo vinha se perguntando o que faria se fosse colocada entre a cruz ou a espada? E chegou apenas a uma conclusão.

-Diria que vocês teriam que escolher uma nova protagonista; ela respondeu com uma calma assustadora.

-Como? –Carlos perguntou engasgando. Esperava qualquer resposta menos aquela, mas o Sr Kenedy parecia satisfeito com isso.

-Ambos são meus amigos e ótimos profissionais, não acho justo que eu escolha; Sora respondeu seriamente.

-Creio que teremos que escolher uma outra protagonista então; o idoso falou de forma enigmática, provavelmente querendo testá-la.

-Acho que tanto a Mei como a Rosetta, estão aptas para fazer o teste quando o Sr quiser; Sora respondeu;

-Obrigado pela sugestão, agora você já pode ir, era só isso; ele falou.

-Com licença; Sora falou saindo da sala.

-Ainda não entendo; Carlos falou confuso, assim que a porta se fechou, não acreditava que o empresário acabara de dizer que queria outra protagonista.

-É bem simples Carlos; ele começou. –Quero que você acrescente no roteiro mais um papel de sol;

-Como?

-Isso mesmo, uma espécie de sombra, que seja capaz de competir com o protagonista e mostrar seu esplendor, tanto quanto seu rival; ele explicou.

-Então não é necessário teste, se os dois estarão na peça; Carlos falou, tentando entender.

-Não, um será o escolhido como o parceiro de Sora, mas a intenção do outro é que o papel seja semelhante, digamos que seja como um duelo no palco, igual ao que Sora e Mei travaram em o Lago dos Cisnes representando Odette e Odila;

-Agora entendo, mas e a Sora, quer mesmo outra protagonista? –Carlos perguntou hesitante.

-Não, eu só queria ter certeza que ela responderia isso mesmo; ele respondeu com um meio sorriso. –Sora amadureceu muito nos últimos anos e já imaginava que ela fosse responder isso;

-Mas...;

-Espere que eles façam o teste e vamos escolher um, depois avisamos que os dois terão papei importantes e que a Sora vai continuar na peça; ele concluiu.

-...; Carlos assentiu. –“De um jeito ou de outro os dois terão mais uma chance após o teste”; ele concluiu;

III – Novas Estrelas.

Mal terminara o café, sairá em disparada para treinar no ginásio, já tinha uma idéia de uma técnica para realizar individualmente, que poderia ser facilmente adaptada para uma dupla posteriormente.

Caminhou pelos corredores que o levariam até lá, porém parou, escondendo-se em um quartinho de limpeza.

-Fool, você tem certeza que ela falou isso? –Rosetta perguntou para o espírito do palco.

-Tenho, eu ouvi quando ela falou para o Carlos que preferia que outra pessoa fosse colocada como protagonista se ela tivesse que escolher um deles; ele respondeu.

-Não entendo a Sora, ela poderia ter escolhido qualquer um dos dois, mas preferiu que outra pessoa entrasse de protagonista em seu lugar pra não escolher; Rosetta falou confusa.

Leon franziu o cenho, ouvira a acrobata falar com alguém sobre Sora, mas quem seria a pessoa que ela conversava intrigado, abriu uma fresta na porta no momento que Rosetta passou. Balançou a cabeça confuso, deveria estar estressado demais para ver um bonequinho flutuando ao lado dela.

-Fool, ouviu alguma coisa? –Rosetta perguntou, parando e voltando-se.

Leon fechou rapidamente a porta quando viu o bonequinho virar em sua direção.

-Acho que foi só impressão; Fool falou, lançando um olhar curioso para o quartinho de limpeza.

Os dois continuaram a caminhar e conversar, ignorando a possibilidade de que alguém os ouvira.

Leon saiu de dentro do quartinho com ar pensativo, não conseguia entender o que ela queria dizer, mas até onde ele entendera, concluirá que Sora tivera que escolher entre um deles e desistiu da peça por isso? –serrou os punhos de forma nervosa. Não duvidava que fosse cometer um chefecídio se o Carlos não lhe explicasse direitinho o que estava acontecendo.

-o-o-o-o-

Mantinha um olhar perdido para o mar, agora ele parecia tão diferente daquele com que sonhara. As águas calmas transformavam-se em ondas suaves indo perder-se na areia.

Estava sentada como no dia anterior, sobre o alpendre do mirante, observando a bela vista que tinha de dentro do próprio Kaleido Star.

-o-o-o- Lembrança -o-o-o-

-Para onde você olha quando esta saltando? –Yuri perguntou de forma enigmática.

-Uh! –ela murmurou, olhando para cima e deparando-se com um par de orbes violetas lhe fitando. Corou.

-Uma Julieta nunca perde o seu Romeu de vista, por isso você não pode ser a Julieta; ele falou misteriosamente, soltando-a em seguida, para que a mesma viesse a agarrar-se a barra do próximo trapézio.

Sora voltou-se para trás, porém não o viu mais ali, enquanto Anna, Mia e Ken estavam lá embaixo dormindo, enquanto acompanhavam seu treinamento.

-o-o-o- Fim da Lembrança -o-o-o-

-“Será que agora eu consigo?”; ela se perguntou, lembrando-se do que o acrobata lhe dissera quando tivera que realizar seu primeiro desafio.

-Porque faz perguntas das quais você já tem as respostas; novamente aquela voz a sussurrar-lhe ao pé do ouvido.

-“Não acredito que eu havia me esquecido de como tudo começou”; Sora pensou sorrindo.

Agora entendia o que aquele sonho queria dizer, sempre tivera as respostas, agora só precisava encontrá-las no lugar certo. Suas próprias lembranças.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 4:07 am

Capitulo 4: Novas Estrelas

I – Reflexões.

Seus movimentos eram precisos e suaves, subia e descia entre um trapézio e outro. Jogou o corpo para trás abrindo os braços e deixando-se cair em queda livre até agarrar-se à próxima barra do trapézio. Deixando o corpo cortar o ar com precisão e perfeição.

-Ele é perfeito; Mia falou, enquanto observava o treinamento de Yuri, junto com as outras garotas.

-Realmente, ele demonstra uma segurança incrível; Mei falou espantada.

Nunca o vira atuar sozinho, alias, sempre o subestimou, achando que sem a Layla ele não seria nada, mas estava errada. Ele não se tornara a co-estrela do Kaleido Star só por ter um rostinho bonito. Ele era bom no que fazia e sabia disso.

-Será que ele já criou uma técnica? –Anna perguntou para as outras.

-Não sei; Mia falou. –Mas os movimentos mudam a cada minuto, desde que chegamos aqui, ele não repetiu um movimento; ela falou.

-Como assim? –Mei perguntou curiosa.

-Até agora ele usou todos os movimentos no trapézio das peças Romeu e Julieta, Cinderela e 1001 noites; Mia explicou. –Mas não se repetiu;

-Incrível; Anna comentou.

-Mas e o Leon, como será que ele está se saindo? –Mei se perguntou.

-Vamos lá ver; Anna falou animada.

As outras assentiram, saindo sem fazer barulho.

-“Finalmente”; Yuri pensou aliviado, vendo-as saírem do ginásio pelo canto do olho.

Deu uma pirueta no ar trocando de barra. Sentou-se na barra do trapézio ofegante. Embora não aparentasse cansaço, o esforço empregado ao trocar as barras era muito grande.

-o-o-o- Lembrança -o-o-o-

- Cuide bem do Kaleido Star por mim! –ela disse sorrindo. Antes de ir.

-Está admitindo que não voltará a trabalhar lá? –Yuri perguntou, estranhando a atitude dela não contendo a curiosidade.

-Não! Não estou desistindo;

-Então?

-Considere isso como uma saída estratégica, porque eu ainda vou recuperar o Kaleido Star; Sora respondeu sorrindo docemente.

-Como pode saber disso? –Yuri perguntou intrigado.

-Não posso, mas quando isso acontecer, espero que nos encontremos como amigos, pois creio que você também vai lutar por ele, não é? –Sora respondeu calmamente.

-Vou! – ele respondeu confiante.

-Até algum dia Jovem Yuri; ela disse e sem esperar uma resposta entrou no elevador soltando a porta atrás de si.

-“Realmente ela tem algo que nenhum de nós tem, então só posso dizer... Que vença o melhor”; ele pensou sorrindo de forma enigmática.

-o-o-o- Fim da Lembrança -o-o-o-

-“E realmente voltou”; ele pensou, com um meio sorriso.

-Dá licença; Rosetta falou, tirando-lhe de seus pensamentos.

-Sim;

-Jovem Yuri, você por acaso viu a Sora? –ela perguntou.

Yuri saltou do trapézio indo parar na frente da jovem. Virou-se em direção ao ombro dela, poderia jurar que tinha um bonequinho flutuando ali. Balançou a cabeça, deveria ser besteira.

-Rosetta eu não vi a Sora ainda; ele respondeu, ainda lançando um olhar curioso para o bonequinho que suava frio.

-Ta certo, obrigada; Rosetta falou se afastando - Vou ver se a encontro por ai; ela completou.

-...; Yuri assentiu. –“Que estranho”; ele pensou.

-o-o-o-o-

Ainda intrigado com o que vira em Rosetta, Yuri resolveu segui-la e quem sabe aproveitar e encontrar Sora também. Viu-a ir em direção ao mirante e seguiu-a.

-Sora; Rosetta falou, aliviada por finalmente achá-la;

-O que foi Rosetta? –ela perguntou descendo do alpendre e voltando-se para ela.

-Preciso te perguntar uma coisa; Rosetta começou com cautela.

-Fale;

-É verdade que você falou para o Carlos que trocasse de protagonista se ele te mandasse escolher um dos dois? –Rosetta perguntou.

-...; Sora apenas assentiu.

Yuri franziu o cenho, ela desistiu do papel principal por isso? E onde o Carlos estava com a cabeça para querer que ela escolhesse. Qualquer um que conhecesse a Sora um pouco que fosse saberia que ela desistiria do papel, mas não escolheria.

Afastou-se com os punhos serrados e pisando fundo, foi em direção ao escritório do chefe. Queria explicações e iria tê-las de qualquer jeito, nem que precisasse atropelar Emilia para entrar naquela sala.

-Porque você não pôde escolher? –Rosetta perguntou.

-Rosetta, não acho justo, ambos são pessoas importantes para mim e grandes amigos, são especiais para mim da forma que são, não queria magoá-los tendo que escolher; Sora falou.

-Mas você não vai ser a protagonista; ela insistiu, como se tentasse convencê-la a mudar de idéia.

-Já tomei minha decisão; Sora falou seria.

-Sora, o que está acontecendo com você? –Rosetta perguntou preocupada. –Você estava tão empolgada com essa peça, o que mudou?

-Rosetta entenda uma coisa; Sora começou, encostando-se no alpendre novamente. –O titulo de estrela do Kaleido Star não vale os meus amigos. Todos são importantes demais pra mim, para trocá-los por um titulo. Outras oportunidades de ser protagonista irão aparecer, se não for agora, paciência;

-Você mudou muito Sora; Rosetta falou surpresa, devido à maturidade que a acrobata estabanada apresentava agora.

-Talvez; Sora respondeu sorrindo.

II – Oito ou Oitenta.

Leon caminhava a passos firmes em direção a sala do chefe, uma discreta veia saltou-lhe na testa ao lembrar do que ouvira Rosetta dizer, não acreditava que Sora tivesse feito aquilo, porque obviamente o chefe lhe imporá isso. Mas iria tirar a limpo essa historia e seria agora.

-O Carlos está na sala dele? –Leon perguntou para a secretaria.

-Está sim e com o Sr-...; Ele a cortou.

-Ótimo, não precisa anunciar; Leon falou indo em direção a porta.

-Jovem Leon não pode entrar agora; Emilia tentou detê-lo.

-E porque não? –ele perguntou, irritando.

-Bem...;

-Algum problema Leon? –Yuri perguntou se aproximando, estranhando ao ver o outro indo para a sala do chefe também.

-Tenho que falar com o Carlos, ela não me deixa entrar; ele falou apontando para a secretaria, que estava com o corpo todo servindo de bloqueio para porta, evitando que ele conseguisse passar.

-Emilia com quem o Carlos esta falando? –Yuri perguntou, voltando-se para a secretaria.

-Com o Sr Kenedy; ela respondeu.

-Leon, por caso o que você tem que falar com o Carlos é sobre a Sora? –Yuri perguntou, depois de alguns segundos de silencio.

-Então você já sabe? –Leon falou com os punhos serrados. –Não acredito que o Carlos foi capaz de fazer isso; ele completou, ainda incrédulo.

-Uh! Então estamos falando da mesma coisa; Yuri comentou. –Não sei você, mas eu não vou fazer o teste se ela não for à protagonista; ele sentenciou.

-Idem; Leon completou. – O Carlos só pode ter ficado louco, para cometer um absurdo desses; ele falou revoltado.

-Vamos resolver isso agora; Yuri falou se encaminhando para a porta. –Emilia, nos de licença.

-Jovem Yuri, não posso deixá-los entrar; ela falou aflita.

-Emilia, isso é muito importante, precisamos falar com o Carlos. A-G-O-R-A; ele falou com um brilho perigoso no olhar.

-Mas...;

Ela mal notou quando Leon delicadamente a arrastou da frente da porta.

-Sejamos mais práticos; ele falou abrindo a porta.

-Emilia, já disse que estava em reunião; Carlos repreendeu, achando que era a secretaria, mas notou a entrada dos dois acrobatas na sala, que não tinham caras muito felizes. –Mas o que...;

-Eu me demito; os dois falaram juntos.

O Empresário idoso arqueou a sobrancelha intrigado, primeiro via uma reação completamente nova em Sora, agora os dois concorrentes a protagonista pediam demissão.

-VOCÊS O QUE? –Carlos perguntou, levantando-se da cadeira, com um olhar que diria praticamente que estava prestes a pular na garganta dos dois e massacrá-los por falarem um absurdo daqueles.

-Isso mesmo; Yuri falou determinado, cruzando os braços de forma impertinente.

-Se a Sora não for à protagonista estou fora; Leon completou.

-Ahn! É impressão a minha ou vocês dois andaram ouvindo atrás da porta? –o Sr Kenedy perguntou, com certo divertimento ao compreender o porque do escândalo que eles estavam fazendo.

-O QUE? –os dois quase gritaram, dando-se conta só agora de que não tinham uma explicação lá muito valida de como eles sabiam disso.

-Isso mesmo. Do contrario como sabem que a Sora preferiu deixar de ser a protagonista, ao ter que escolher um, entre vocês dois? –ele perguntou, de forma enigmática.

-“Então foi isso? Mas porque?”; Leon se perguntou confuso.

-Bem...; Yuri começou hesitante, não podia contar ao chefe que andara espionando Sora e Rosetta e ainda de quebra vira sobre o ombro da garotinha um bonequinho flutuando. Era loucura.

-Como sabemos não importa; Leon cortou seco. –Mas creio que a informação é realmente valida, não? – Nunca Yuri agradecera tanto a presença do rival ali, como estava agradecendo agora. Suspirou aliviado.

-É sim; Carlos respondeu com calma, já imaginava que quando eles soubessem iriam surtar, mas não pensou que as noticias fossem chegar tão rápido e a reação fosse essa.

-Carlos; o Sr Kenedy chamou. –Acho que a Sora estava errada; ele começou, chamando a atenção dos dois acrobatas, que até então lançavam um olhar no mínimo assassino para o chefe, que estava começando a ficar preocupado com a situação.

-Uh! –eles murmuraram, voltando-se para o idoso. Tendo a leve impressão de que ele sabia bem mais coisas do que eles.

-Sora disse que vocês eram ótimos profissionais, mas não vejo nenhum profissionalismo nessa atitude infantil; ele falou, os repreendendo.

-...; Tanto Yuri como Leon abriram a boca, para fecharem em seguida, sem emitir som algum.

-Vocês dois vão fazer esse teste e deveriam ter vergonha dessa atitude que tiveram. Sora confia em vocês a ponto de lhes deixar essa responsabilidade, deveriam se envergonhar mais ainda por decepcioná-la; o empresário falou. –Agora vão treinar, o teste já é amanhã e não espero uma técnica menos do que perfeita de vocês dois; ele falou se levantando da cadeira com um olhar que os fez engolir em seco.

-...; Sem outra alternativa eles assentiram e saíram da sala.

-Esses dois; Carlos falou balançando a cabeça, embora estivesse surpreso que os dois tivessem obedecido ao empresário.

Conhecia o temperamento rebelde de Yuri quando era contrariado e Leon não ficava atrás, poderia aparentar indiferença, mas seus olhares cortavam mais do que o fio de uma navalha quando estava irritado.

-Bem, mas me parece que ha mais coisas em jogo do que se possa imaginar, não? –ele perguntou, voltando-se para Carlos, que apenas assentiu.

III – Telefonema.

Leon e Yuri entraram no refeitório pisando duro, haviam resolvido almoçar e depois irem treinar. Algumas pessoas lançavam olhares curiosos para os dois, que pareciam compartilhar a mesma revolta.

-Mas isso não vai ficar assim, não mesmo; Leon falou, enquanto pegava uma bandeja com o prato.

-O Carlos me paga; Yuri falou quase num rosnado, fechando os olhos nervosamente. –Ele não tem esse direito;

-Tem sim, ele é o chefe; Leon falou sarcasticamente.

-...; Yuri arqueou a sobrancelha, lançando-lhe um olhar cortante. –Você não esta ajudando desse jeito;

-E o que pretende fazer, gênio? – Leon provocou.

-Espere e verá; ele falou confiante. –Se o Carlos quer tanto que façamos o teste, pois bem, mas não garanto que será o melhor que ele já viu; Yuri falou com um sorriso maldoso nos lábios.

-O que está tramando? –Leon não se conteve em perguntar, se o que ele estava pensando era o mesmo que ele seria interessante ver o limite da paciência do chefe.

-Vamos ver se o Carlos vai conseguir algum protagonista depois de amanhã;

-Pode até dar certo; Leon murmurou, entendendo aonde ele queria chegar.

-Mas é claro que vai dar;

-A julgar pelas suas ultimas idéias; Leon provocou.

-Hei! Aquele lance das flores era para terem dado certo, se alguém não tivesse falado que iria parecer um velório; ele falou, apontando para o outro acrobata acusadoramente.

-O que você queria, que eu concordasse que você saísse por ai espalhando cravos e crisântemos pelos corredores, não iria parecer um velório; Leon falou calmamente, gesticulando de forma displicente.

-Então...;

-Ia parecer um enterro logo de uma vez; ele o cortou.

-Oras, seu...; Yuri começou, mas foram interrompidos.

-Vão querer o que? –o cozinheiro perguntou, com uma gotinha na testa, por atrapalhar aquela pequena guerrinha de testosterona.

-Peixe; os dois responderam, voltaram-se um para o outro se fuzilando.

Não muito longe dali...

-Meninas, eu pagava pra ver esses dois querendo matar o Carlos; Rosetta falou divertida, vendo os dois acrobatas a distancia, praticamente se fuzilarem.

-Realmente; elas responderam abafando o riso.

-Mas Rosetta, você tem mesmo certeza? –Mia perguntou de repente.

-Já disse que tenho, ela mesmo me disse isso; Rosetta respondeu.

Todos já estavam se reunindo no refeitório para o almoço quando a fofoca começou a rolar, as garotas ouviram os rumores sobre o que os dois acrobatas fizeram, não acreditaram imediatamente, mas após Rosetta contar a elas sobre o que a própria Sora havia lhe falado não tinham mais duvidas que o surto dos dois fora exatamente por isso.

-Falando sobre o que meninas? –Ken perguntou, juntando-se a elas.

-Leon e Yuri tentando matar o Carlos; Mia respondeu.

-Como? –ele perguntou, arqueando a sobrancelha.

-...; Mia abriu a boca para responder, quando foi interrompida pelo celular do garoto que acabara de tocar.

-Quem será? –ele se perguntou atendendo. –Alô;

-Oi Ken, você ta ocupado? – Sora perguntou do outro lado da linha.

-Não, aconteceu alguma coisa? –ele perguntou preocupado, ela não era de ligar em seu celular, sem que fosse algo realmente importante.

-Queria conversar com você; ela respondeu.

-Onde você está? –Ken perguntou, sem notar o olhar curioso das garotas sobre si.

-Cape Mary, no parque; Sora falou. –Mas se você estiver ocupado...;

-Não, já to indo, me espera; ele a cortou, apressando-se em dizer.

-Ta certo. To te esperando então;

-Até; ele falou desligando o celular, perguntando-se intimamente o que ela queria falar com ele, para que fosse justamente em Cape Mary.

-Algum problema, Ken? –Mei perguntou curiosa, tentando ver o numero de telefone no visor do celular, mas bufou irritada, quando o mesmo rapidamente o guardou, impedindo-a de ver.

-Nada não, apenas coisas de rotina; ele desconversou. –Mas agora tenho que ir, bom almoço pra vocês, meninas; Ken falou se levantando.

-Até; elas responderam.

-Ele esta escondendo algo; Mei falou, colocando a mão no queixo, com ar pensativo.

-Uh! Uh! Uh! –Yunathan concordou balançando a cabeça.

-Quem será que ligou para o Ken, para ele sair quase correndo? –Anna perguntou.

Um momento de silencio aconteceu, entre elas era capaz de ouvir até mesmo o barulho de alguém cortando uma folha de alface no refeitório. Trocaram um olhar surpreso ao concluírem automaticamente a mesma coisa.

-SORA; elas gritaram juntos.

-Pra ele sair desse jeito, só pode; Mei falou.

-Vamos, ainda dá tempo de alcançá-lo; Anna falou largando o prato em cima da mesa e correndo para fora do refeitório.

Logo as outros puseram-se a correr também, enquanto algumas pessoas olhavam curiosas a cena.

-Hei! ME ESPEREM; Sarah gritou, tentando alcançá-las, mas acabou ficando para trás.

-Que cara é essa, Sarah? –Ian perguntou divertido, encontrando ela com cara de gatinho emburrado.

-O Ken saiu atrás da Sora e as meninas atrás do Ken e não me esperaram; ela respondeu.

-E como sabe que o Ken foi falar com a Sora? –ele perguntou curioso.

-Foi porque elas gritaram isso antes de correrem; ela respondeu, deixando-o com uma gotinha na testa.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 4:11 am

Capitulo 5: Técnica
I – A Fênix de Fogo.

Sorriu docemente ao ver não muito longe de si, um grupo de crianças brincando s no parque. Acomodou-se melhor onde estava sentada, encostando a cabeça sobre o tronco da árvore.

Fechou os olhos lembrando-se de tudo aquilo que já passara e o que lhe fazia continuar. Não conseguiria as respostas que queria se ficasse parada, por isso precisava da ajuda do amigo.

-Sora; alguém chamou, colocando a mão sobre seu ombro.

-Ken; ela falou, abrindo os olhos e deparando-se com ele. –Obrigada por ter vindo; Sora falou se levantando e sorrindo.

-...; Ele sorriu em resposta. –Queria falar comigo?

-Vem comigo; ela falou, começando a caminhar. –Ken, você lembra porque entrou no Kaleido Star? –Sora perguntou, depois de alguns segundos de silêncio.

Embora não entendesse onde ela queria chegar com aquilo, conseguia notar que tinha algo de diferente nela. Algo que não saberia explicar ou quando começara, apenas que acontecera.

-Meu sonho era fazer parte do elenco, mas como não deu, acabei o mudando, quando entrei para o Kaleido Star junto com a equipe de técnicos; ele respondeu.

-Que bom que você lembra; ela falou sorrindo, deixando-o intrigado. –Ken, olha aquelas crianças; Sora falou, apontando para um grupo que brincava, rindo e pulando entre os brinquedos do parque, como se nada mais importasse. –Você acha que daqui a alguns anos elas vão se lembrar dos sonhos que tinham nessa idade?

-Não tem como saber; Ken respondeu, observando as crianças. –Talvez nem todas elas sejam como você; ele completou, lembrando-se da conversa que tivera com ela há alguns anos trás, quando ela chegara ao Kaleido Star e perdera o teste.

-Elas não precisam disso, não agora; Sora falou de forma enigmática.

-Como? –Ken perguntou confuso.

-Ken, desde que eu cheguei aqui você sempre foi meu melhor amigo, que me ajudou em todas as minhas conquistas; ela começou, parando de andar.

-Sora, eu...; Ele murmurou, enrubescendo.

-Por isso mais uma vez preciso de sua ajuda; Sora falou, voltando-se para ele.

-Minha ajuda?

-...; Ela assentiu. –Quero criar uma técnica que faça com que todos se lembrem do porque é importante lutar para realizar um sonho; Sora esclareceu.

-Lembrar; ele murmurou, entendendo agora o que ela queria dizer. –E o que você tem em mente?

-Logo que eu entrei no Kaleido Star eu tinha um outro sonho; ela falou com um meio sorriso, enquanto voltava a caminhar. –Que na época eu não cheguei a realizá-lo completamente;

-E qual era? –ele perguntou intrigado.

-Executar o Fênix Dourado; ela respondeu, deixando-o atônito.

-Mas...;

-Na época eu era inexperiente demais para uma técnica desse nível; ela o cortou.

-O Fênix é da Layla, sei que você pode executá-lo agora, mas...;

-Não é isso Ken; Sora falou calmamente. –Embora o Fênix Dourado seja uma técnica muito bonita, ela é opressiva e arrogante;

-Uh! –ele murmurou arregalando os olhos, surpreso.

-Você sabe como se combatem os demônios? –ela perguntou de forma enigmática.

-Com anjos; ele sugeriu incerto.

-E uma ave imortal, só pode ser combatida com o seu equivalente e que seja capaz de superá-lo; ela respondeu com um meio sorriso.

-Um duelo de fênix; Ken falou interessando. –E qual seria o nome?

-Fênix de Fogo; Sora respondeu. –A peça não fala sobre a união entre o Sol e a Lua, bem... Há dias que a lua e o sol tem um brilho avermelhado o que o torna especial; Sora falou com um sorriso infantil.

-Imaginei que você fosse escolher algo assim; ele falou sorrindo. –Mas é algo realmente novo, uma técnica que seja capaz de despertar esse sentimento é capaz de superar até mesmo a angelical.

-É exatamente o que eu quero; Sora falou confiante. –Por isso preciso de sua ajuda;

-Pode contar comigo; ele falou confiante, estendendo-lhe a mão.

-Obrigada; Sora respondeu, apertando-lhe a mão, com um olhar confiante.

Não muito longe dali...

-O que será que eles estão falando? –Anna perguntou, enquanto ela e as outras garotas estavam escondidas atrás de um arbusto com binóculos e disfarce, espiando os dois.

-Não da pra ouvir nada daqui; Mariun falou, olhando pelo binóculo, enquanto Yunathan batia as patinhas em cima de sua cabeça.

-Uh! Uh! Uh! –a foquinha concordou.

-Parece que eles estão voltando para o Kaleido Star; Mei falou.

-Mas porque a Sora o chamou aqui? –Rosetta perguntou intrigada.

-Será que ela contou pra ele qual dos dois ela escolheria? –Mia sugeriu.

-Hei! Ela tem que contar pra gente primeiro; Mei falou indignada.

-Vamos atrás deles e a gente da um jeito de falar com o Ken; Anna sugeriu.

-...; Todos assentiram pondo-se a correr.

II – Primeiro Passo.

Despediram-se na entrada dos dormitórios, Ken fora preparar o lugar onde ela começaria a treinar, enquanto Sora fora trocar de roupa.

-Fool cheguei; ela falou entrando no quarto.

-Onde esteve? –o espírito do palco perguntou curioso.

-Passeando no parque; ela respondeu, abrindo a gaveta da cômoda para procurar a roupa.

-Sora, Rosetta estava te procurando; ele falou casualmente.

-Eu já conversei com ela; Sora respondeu, encontrando o maiô de treinamento.

-Ouvi dizer que você desistiu do papel de protagonista; ele falou, sentando-se em cima da cômoda, ficando de frente para ela.

-...; Sora assentiu.

-Mas e agora, se você tivesse que escolher, qual deles você escolheria? –ele perguntou curioso, tentando parecer o mais sério possível.

-Eu, bem...; Ela começou corando.

-Sora; Sarah chamou, batendo na porta.

-Já vou; ela respondeu, indo até a porta, deixando o maiô em cima da cama, ignorando completamente o Fool.

O espírito do palco fez um movimento leve com as mãos, fazendo um delicado globo de cristal surgir entre seus dedos.

-Parece realmente que Peixes e Escorpião estão dispostos a vencer, que sua luz chega a equiparar-se com a de Sagitário que a cada minuto se acende mais, como uma Fênix queimando suas asas nos desertos longínquos do mundo; ele falou de forma enigmática.

Minutos antes...

-“Uh! Acho que isso já é suficiente”; Ken pensou, observando o que fora feito no palco.

Embora fosse algo meio de ultima hora, dera certo de encontrar com Ian no meio do caminho e o mesmo lhe ajudar com os trapézios que colocariam no palco. Yuri e Leon estariam usando os ginásios principais para os treinamentos, então, como Sora queria começar o mais rápido possível, usariam o palco.

-Ken o que vocês pretendem? –Ian perguntou curioso.

-É sigiloso; ele respondeu com um meio sorriso.

-Isso por acaso não tem nada a ver com a Sora, tem? –ele perguntou.

-Tem; Ken respondeu, porem não falaria mais nada do que isso.

-Tem certeza de que não quer me contar? –Ian insistiu.

-Tenho; Ken respondeu. –Pelo menos até que a Sora autorize;

-...; Ian arqueou a sobrancelha, não conseguiria mesmo arrancar dele a informação.

-o-o-o-o-

-Oi Sarah; ela falou atendendo a porta;

-Oi; a cantora falou entrando no quarto dela.

-Aconteceu alguma coisa? –ela perguntou, vendo que a cantora olhava para todos os lados como se procurasse por algo.

-Não, nada não; ela respondeu casualmente.

-Então? –Sora perguntou.

-Então o que?

-O que quer comigo?

-Ah! Sim, vim te perguntar uma coisa; ela começou.

-O que? –Sora perguntou, engolindo em seco ao ver o sorriso que a cantora abrira, não achando uma boa idéia ter perguntado realmente o que ela queria saber.

-Se você tivesse que escolher um dos dois agora, quem você escolheria? –ela perguntou.

-Ahn! Bem... eu; ela começou suando frio. –Porque quer saber?

-Oras, você sabe; Sarah falou com um sorriso maroto.

-Não, eu não sei; Sora respondeu recuando, vendo que a cantora não parecia disposta a desistir disso.

-Claro que sabe Sora; ela falou como se fosse a coisa mais obvia do mundo. –Vamos lá, não seja má, me conta, quem você escolheria? Yuri ou Leon? –ela insistiu.

-Bem, acho que o Jovem...;

Nesse momento o celular de Sora tocou em cima da escrivaninha e suspirando aliviada, ela correu para atender.

-Alô;

-Sora, já ta tudo pronto; Ken avisou.

-Já estou indo, obrigada;

-Por nada, até; ele falou desligando.

-Sarah, vamos ter de deixar isso para depois; ela falou, voltando-se para a cantora.

-Porque? –ela perguntou, tentando imaginar quem é que ligara.

-Porque eu tenho que treinar, mas depois conversamos, fecha a porta pra mim ta; ela falou, praticamente saindo correndo do apartamento.

-Droga, ela não me contou; Sarah resmungou, sentando-se em uma cadeira de frente para a escrivaninha, mas estreitou os olhos tentando enxergar algo que estava caído no pé da cama.

Levantou-se indo ajoelhar-se no chão para conseguir alcançar o que vira.

- “Uh! O que será isso?”; Sarah se perguntou, notando que no fim era uma foto. – “Mas essa foto é”; ela arregalou os olhos notando quem era que estava na foto.

Correu até a escrivaninha, deixando-a em cima, não precisava de outra resposta. Aquela já era suficiente; ela concluiu. Fechando a porta atrás de si.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 4:14 am

Capitulo 6: Manhã Sem Fim.

I – Formas.

Olhou para baixo mais uma vez. A rede de segurança estava bem colocada no palco. Como Yuri e Leon estavam usando os ginásios, Sora pedira a Ken que preparasse os trapézios do palco.

O trapézio esférico já fora instalado por Ian, o mesmo trapézio usado na peça Freedown por ela e Laila. Respirou fundo, esse era o primeiro passo.

-Esta pronta? –A voz de Ken soou em seu ouvido.

Embora usasse as roupas comuns de treinamento, fora preso em seu ouvido um pequeno fone de tecnologia avançada que permitia que ela falasse e ouvisse normalmente, enquanto Ken lá em baixo estaria monitorando todo o treinamento.

Ken resolvera gravar as tentativas da jovem e com o laptop poder monitorar passo por passo e analisar as melhores performances, para que pudessem melhorá-las depois.

Aquela técnica teria de ser mais do que perfeita e eles trabalhariam juntos para que isso acontecesse.

-Estou; Sora respondeu.

Com um leve impulso ela começou a se balançar no trapézio...

-“Muitas coisas são diferentes agora”; Sora pensou, enquanto fazia uma espécie de aquecimento, apenas trocando de barras, sem fixar-se em uma técnica especifica. –“Quando comecei meu maior sonho era entrar no Kaleido Star e ser parceira da Srta Laila”; ela pensou, lembrando-se do que ocorrera no teste e depois nos bastidores.

Trocou novamente de barra, agora se concentrando em um ponto só...

-“Aquela época o Jovem Yuri me disse que eu não poderia ser a Julieta, mesmo insistindo em fazer a técnica eu sabia que faltava algo e ele estava certo”; ela concluiu.

Um giro de trezentos e sessenta graus no trapézio em espiral lhe deu a velocidade necessária para alcançar uma das barras que estava a cerca de quatro metros a sua frente.

-“Não existia um Romeo”; ela pensou, sentindo a face queimar, perdendo momentaneamente a concentração.

Escorregou da barra, deixando-se cair de costas sobre a rede de segurança.

-Você esta bem? –Ken perguntou preocupado, ela parecia tão concentrada, que achou estranho que ela tivesse perdido o tempo entre a troca das barras.

-Estou sim, só perdia a concentração; Sora respondeu, tornando a saltar para o trapézio.

-Imagino em que estava pensando; o jovem falou com um meio sorriso sugestivo.

-Sinceramente não faço idéia sobre o que você esta se referindo; ela rebateu, mantendo-se de costas para ele, pois sua face estava tão vermelha quanto os cabelos de Rosetta.

-Tem certeza; Ken insistiu. –Posso te lembrar o motivo, se quiser; ele sugeriu com falsa inocência.

-Não obrigada; Sora falou prontamente.

-Se você diz, não vou lhe desconcentrar; ele falou com um sorriso inocente. –Mas preste a atenção na velocidade que você emprega para fazer o giro, se você forçar de mais o corpo pra frente, querendo seguir os padrões do Fênix Dourado como base, vai perder o seu equilíbrio; Ken alertou.

-Entendi; ela respondeu, preparando-se para saltar novamente.

-o-o-o-o-

Suspirou pesadamente, tentara treinar, mas nada conseguira. Perdera completamente a concentração tentando colocar os pensamentos em ordem. Desceu do trapézio desistindo completamente de ficar ali.

Leon aproximou-se do banco em que deixara sua jaqueta, provavelmente estaria ventando lá fora e o caminho para os dormitórios poderia vir a lhe render uma gripe se abusasse. E agora o que menos precisava era de algo que atrapalhasse seu desempenho no teste.

Parou, franzindo o cenho ao ver um bonequinho em cima do banco.

-“O que será isso?”; Leon se perguntou, estranhamente o bonequinho parecia suar frio.

Leon levou o indicador na direção dele e o cutucou. Um barulhinho estranho foi emitido pelo bonequinho. Leon abaixou-se, até que os joelhos quase tocassem o chão para olhá-lo mais de perto.

-Que coisa é você? –ele perguntou para si mesmo, sem esperar uma possível resposta vinda do bonequinho.

-Se você pode me ver, quer dizer então que você é uma das pessoas escolhidas para ser a futura estrela do Kaleido Star; Fool falou, abrindo os braços.

Assustado-se com Fool, Leon afastou-se rapidamente. Nesse momento o ginásio ficou numa completa penumbra, apenas uma tênue luz acendeu-se na escuridão, vinda das mãos do espírito do palco onde um globo cristalizado se materializara.

-O que é você? – o acrobata de madeixas prateadas perguntou com cautela.

-Sou Fool, o Espírito do Palco; ele respondeu. –E você agora, tem um desafio com o destino;

II – Mudanças.

Ken colocou a mão sobre a boca para evitar que mais um bocejo saísse. Sentiu os olhos pesarem e o corpo ficar cansado de estar tanto tempo naquela mesma posição, sentando em uma das cadeiras do auditório com o laptop no colo e a seu lado um suporte com uma filmadora, que registrava os movimentos da jovem e automaticamente passava para o computador.

-Sora, já são quase quatro horas da manhã; ele avisou, assustado ao mirar o relógio e ver que passaram a noite toda ali. –Não quer fazer uma pausa?

-Nossa como o tempo passou; Sora falou assustada, não imaginara que o tempo poderia passar tão rápido. –Ken se não se importar queria treinar mais um pouco; ela falou, sentando-se um momento sobre o trapézio.

-Tudo bem, mas não se exceda é só o primeiro dia ainda; ele falou, enquanto levantava-se momentaneamente e fazia um alongamento, ouvindo as costas estalarem. Tornou a sentar-se voltando as gravações. –“A cada nova tentativa a técnica esta tomando forma, é surpreendente como ela consegue ser tão rápida pra aperfeiçoá-la”;

Embora a Fênix de Fogo seguisse os princípios do Fênix Dourado de Laila, era evidente a diferença, os sentimentos que a técnica almejava demonstrar eram seu diferencial.

Ela não usava só o corpo nas acrobacias para a troca do trapézio, usava também os braços e as pernas. As mão moviam-se delicadamente pelo ar, como se fosse capaz de tocar as nuvens, era tão relaxante vê-la atuar daquela forma, que lhe dava paz; ele pensou.

Lembrou-se que uma vez perguntara a Sora só por curiosidade, se ela não aceitara concorrer o papel de Julieta com Mei, porque já sabia que ganharia, mas se surpreendeu com a resposta.

-Na verdade não; ela respondeu, quando ele lhe perguntara.

-Porque diz isso? Até o Fênix Dourado da Laila você já executou, ser a Julieta não seria grande desafio; ele argumentou.

-Entenda Ken, existem Julietas e Julietas no mundo; ela falou surpreendendo-o com o ar sério que respondia.

-Como assim?

-Existem Julietas que amam seus Romeos. Julietas egoístas que querem brilhar sozinhas, mais do que qualquer estrela no céu. Julietas que dariam o mundo por um sorriso de seu Romeo e Julietas que não tem um Romeo; ela explicou.

-Ahn! E você, se encaixa em qual dessas Julietas? –ele perguntou curioso.

-Não sei; ela respondeu simplesmente.

-Como? –Ken perguntou espantado.

-Eu amo o palco como a Julieta ama o seu Romeo, quero brilhar como uma estrela, mas não ao preço da dor dos outros, se temos que brilhar que seja, todos juntos. Eu daria o mundo só para merecer o sorriso de cada pessoa que entra no Kaleido Star para recuperar seus sonhos e aprender a sonhar, mas no fim, não sei se esse é o caminho certo a seguir, ou criar um espetáculo sem competições é mesmo possível, mas enquanto puder, vou sempre seguir em frente; ela completou.

-“Realmente, somente aquele que conseguir competir com esse palco de igual para igual, vai conseguir conquistá-la; ele pensou.

-o-o-o-o-

Yuri jogou as chaves do carro sobre a mesinha de centro. Suspirou pesadamente, tentara treinar, mas depois do que ficara sabendo sobre a decisão de Sora de deixar o papel principal se tivesse de escolher entre eles, lhe perturbara de mais.

Aproximou-se da janela abrindo momentaneamente as persianas. A noite já despontava e as estrelas já começavam a brilhar. Voltou-se para trás mirando a poltrona central.

-“Quatro anos”; ele pensou, lembrando-se da primeira e ultima vez que a vira entrar por aquela porta e sentar-se exatamente ali.

-Queria ter estado ali pra você, da mesma forma que você sempre esteve pra mim; a voz da jovem ecoou em sua mente. -Agora nunca saberemos se poderia ou não ser diferente; ela completou com um doce sorriso. -Não estou desistindo, considere isso apenas uma retirada estratégica; Sora falou com um sorriso enigmático. -Espero que quando nos encontrarmos novamente, nos encontremos como amigos, pois sei que vai lutar por ele, da mesma forma que eu; ela falou, referindo-se a posse do Kaleido Star.

-“Que poder é esse que você tem de mudar a vida das pessoas, hein, Sora?”; ele se perguntou, com um meio sorriso nos lábios.

Afastou-se da janela indo em direção ao quarto. Precisava de um banho, única forma de relaxar e espantar aqueles pensamentos.

Entrou no banheiro e lançou um olhar demorado para o espelho, quando seu olhar deteve-se em um ponto atrás de si. Uma pequena mesa onde havia colocado o roupão que vestiria. Em cima da mesa estava uma espécie de bonequinho, semelhante a um pierrô.

Yuri virou em direção ao bonequinho aproximando-se com cautela, franziu o cenho notando que ele parecia suar frio.

-O que é isso? –ele se perguntou, cutucando o bonequinho.

-Se você pode me ver, quer dizer que você é uma das pessoas escolhidas para ser a futura estrela do Kaleido Star; Fool falou.

-Estrela? Eu devo estar ficando louco de vez, estou ouvindo essa coisa falar; ele falou consigo mesmo. –Melhor tomar um banho logo;

-Hei garoto, estou falando com você; Fool gritou, sendo ignorado novamente por Yuri.

-Puff; Yuri resmungou, enquanto jogava as roupas em um cesto e entrava em baixo da água.

-“Vai ser mais difícil do que eu imaginava”; Fool pensou, desaparecendo em seguida.

III – Chegadas.

Já era madrugada quando as duas acabavam de sair do portão de desembarque do aeroporto de Cape Mary. Uma das jovens não cabia em si de tanta euforia.

-Vamos logo Laila, se não vamos chegar quando o teste estiver no fim; Kate falou impaciente, arrastando sua mala pelo meio do aeroporto.

-Seja paciente; a ex-acrobata falou, a viagem toda fora assim. Com Kate reclamando o quanto o avião era lento e que chegariam no Kaleido Star no termino do teste.

Ainda lembrava-se de quando Carlos ligara avisando do projeto de comemoração dos vinte anos do Kaleido Star e pediu a ajuda das duas para a coordenação do projeto. Sem contar que ele lhes dissera que tinha uma surpresa, o que contribuiu para Kate não lhe dar um momento de silencio.

-Laila, você conhece o Carlos há mais tempo que eu, me diga, você sabe o que ele esta tramando, não? –ela perguntou, enquanto saiam do aeroporto e ela acenava freneticamente com o braço para chamar um táxi.

-Não Kate. Pela milésima vez, não sei; Laila suspirou pesadamente. Não sabia ao certo, mas fazia idéia, já que o ex-chefe lhe dissera que tudo estava relacionado ao pequeno ‘duelo’ travado entre os dois acrobatas do Kaleido Star e que estava gerando algumas historias interessantes, porem, havia mais coisas das quais ele não quis comentar por telefone.

-Para onde Srtas? –o taxista perguntou, após colocar as malas das duas dentro do porta-malas.

-Condomínio Hamilton; Laila respondeu.

-...; O taxista assentiu, sabia que aquele era um dos condomínios mais famosos de São Francisco. Não levariam muito tempo para chegarem até lá.

-Ainda me pergunto que tipo de técnica a Sora esta planejando para esse espetáculo; Kate começou, lembrando-se da performance da jovem na peça do Lago dos Cisnes.

-Deve ser algo realmente novo; Laila falou num murmúrio vago. –Algo me diz que muitas coisas vão acontecer nesse teste;

-Eu estou falando, você sabe de algo e não quer me contar; Kate falou ficando emburrada.

-Não sei mesmo, mas digamos que seja apenas um pressentimento; Laila falou com o olhar vago. –“Se não estou enganada muitas coisas vão mudar, só espero que pelo menos ela saiba o que fazer agora”; ela concluiu em pensamentos.

-o-o-o-o-

-Sora, são quase seis da manhã, vamos fazer uma pausa; Ken falou, levantando-se.

-Esta bem; ela respondeu, caindo de costas na rede e saltando para o chão.

-Lembrei de algo; ele começou, enquanto lhe entregava uma garrafa de água e uma toalha.

-O que? –ela perguntou, deixando-se cair em uma das poltronas, enquanto ele começava a revisar o material.

-Laila e Kate chegam hoje; ele respondeu.

-O QUE? –ela gritou, cuspindo de uma vez o gole de água que tomara. Tossiu aflita por sentir a água entrar em seu canal respiratório.

-Calma, respira fundo; Ken falou, dando-lhe alguns tapas nas costas.

-Ahn! Você estava falando exatamente sobre o que mesmo, Ken? –Sora perguntou casualmente, tentando não parecer nervosa.

-Laila e Kate chegam hoje, parece que o Carlos pediu que a Kate ajudasse a Mia com a coordenação das apresentações e a Laila vinha junto pra ajudar com o elenco; Ken respondeu, sem notar que a jovem perdera temporariamente a cor da face.

-“A Srta Laila também veio”; ela pensou, enxugando a testa com a toalha.

-Vai contar a ela? –Ken perguntou, tirando-lhe de seus pensamentos.

-Sobre?

-...; Ken arqueou a sobrancelha.

-É melhor deixarmos esse assunto quieto, Ken; ela pediu, abaixando a cabeça. –Vai ser melhor assim;

-Eu não acho, mas é você quem decide; Ken deu de ombros. –Mas mudando de assunto, já tem idéia de quem é que te mandou as rosas? –ele perguntou interessando.

-Não, porque? –ela perguntou curiosa. –Sabe de alguma coisa que por acaso não esta querendo me contar, Ken? –Sora perguntou, voltando-se pra ele com um olhar enigmático.

-Eu, imagina; ele respondeu com um sorriso sem graça.

-Ken; Sora falou em tom de aviso.

-É sério, não faço idéia de quem esta te mandando flores; ele respondeu evasivo. –Mas porque não pergunta; Ken sugeriu.

-Pra quem?- Sora perguntou curiosa.

-...; Ele abriu um largo sorriso, fazendo a jovem corar furiosamente.

-A não, lá vem você com isso de novo; ela falou, levantando-se e indo para o trapézio.

-Nada me impede de tentar; ele respondeu. –Quem sabe eu ainda te faço mudar de idéia e insistir mais nisso;

-Desista; Sora falou saltando.

-Pensei que essa palavra não estivesse no seu dicionário; ele provocou.

-Eu não disse que não estava, eu apenas não a uso com freqüência; Sora falou, tornando a saltar, agora com mais empenho.

-“Como eu queria te contar que é ele que te mandou as rosas”; ele pensou, dando um suspiro resignado.

Lembrou-se da primeira vez que a jovem tocara naquele assunto consigo e pedira sua opinião. Não negava que ficara surpreso, ou talvez não imaginasse que exatamente aquilo que suspeitara estivesse realmente certo, mas a verdade é que no final, ele era o único a saber sobre as verdadeiras escolhas da jovem, eram amigos e sempre confiaram um no outro.

Quando começara a namorar a Liliana, recebera o total apoio de Sora, o que serviu para aumentar os laços de amizade que os uniam. Agora era sua vez de ajudá-la a não desistir daquilo. Não se perdoaria se ela fizesse tal coisa.
Nesse momento lembrou se como tinha conquistado a Liliana e queria ajudar Sora nisso como ela o tinha ajudado a ele
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 4:15 am

------Inicio da lembrança ---------


nenhum dia poderia se chamar de normal, para o pessoal do Kaleido Star, a cada dia que se passava à ansiedade era maior, como todo mês de janeiro, o Kaleido Star abria suas portar para um novo grupo de artistas tentarem a sorte no mundo mágico do palco Kaleido. Pensando assim, Carlos, Yuri, Leon e o Sr. Kennedy, estavam há horas trancados em uma sala discutindo as novas mudanças que ocorreriam naquele ano dentro do Kaleido Star. Claro que a Sora e as meninas, estavam com os ouvidos colados na porta...
Sr. Kennedy: Carlos, isso realmente é um projeto ousado.
Carlos: Eu disse isso pro Yuri, mas a idéia foi dele.
Leon: Pode ser ousado, mas chamará mais a atenção.
Yuri: Enquanto você se prender somente ao básico Carlos. O Kaleido Star nunca via mudar.
Carlos: Se eu me apegasse só ao básico, ano passado nós não teríamos tido todos aqueles problemas causados pela Sora.
Sr. Kennedy: Mas isso melhorou muito a imagem do Kaleido Star para o publico e claro os investidores adoraram...
Leon: O que nós devemos mesmo é mudar. Precisamos de algo novo, desafiador.
Yuri: Isso é fácil, aprovem meu projeto.
Carlos: O que acha Sr. Kennedy?
Sr. Kennedy: Esse jovem está certo é um plano ousado e desafiador, vai funcionar com certeza.
Carlos: Então a idéia esta aprovada, mas tem mais uma coisa.
Yuri: O que?
Carlos: O Leon vai ser seu supervisor, caso aconteça alguma coisa ele vai poder ajudar, o que acha Leon?
Leon: Eu, porque?
Sr. Kennedy: Se estamos falando de um projeto desafiador e ousado porque não, vocês podem se dar bem trabalhando juntos.
Uma pequena corrente elétrica cruzou os olhos de Leon e Yuri. O Leon sendo o subordinado e o Yuri o chefe era uma coisa, mas os papéis se invertendo, não parecia um bom sinal. (fala sério, esses dois juntos, não quero nem ver no que vai dar).
Yuri: Tudo bem. Se o Leon não se importar podemos começar amanhã mesmo.- fala Yuri com um olhar sombrio e a voz serrada.
Leon: Tudo bem. – com uma cara de quem não tinha escolha.
Carlos (pensando): Vai ser divertido ver o que esses dois vão fazer juntos.
Sr. Kennedy: Carlos eu poderia fazer mais uma sugestão.
Carlos (surpreso): Claro, qual seria?
Sr. Kennedy: A Sora poderia ajuda-los, isso se ela aceitar é claro.
Depois dessa sugestão, a tenção ficou ainda maior entre os dois.
Carlos: Ótima sugestão e nós sabemos que ela vai ficar muito feliz em ajuda-los.
Um ruído estranho chegou aos ouvidos dos homens, mas quando abriram a porta, não encontraram nada que justificasse o som estranho...
Depois no dormitório...
As garotas já estavam se arrumando, Mey e Sora não paravam de falar, dali a três dias kate e Layla chegariam para ajudar na seleção do pessoal novo que entraria no Kaleido Star.
Justamente naquele dia, Ken havia ido para a entrada do Kaleido Star fazer a manutenção do globo de cristal que normalmente guardavam os pôsteres das peças que entravam em cartaz, mas algo lhe chamou a atenção, uma linda garota de belos cabelos ondulados, muito brilhantes , finos e sedosos como, tão ou mais sedosos de que uma toalha branca de puro linho e seda, um cabelo com o comprimento pela altura de uns belos ombros, loiros acastanhado como se fossem umas pepitas de ouro acabadas de serem tiradas da Mãe Terra, os olhos da garota eram grandes e amendoados e a sua cor era tão azul como o magnífico céu azul, o seu rosto era oval fino e delicado como o de qualquer menina pequenina, um nariz pequeno e uns lábios pequenos, finos e rosados e uma pele tão clara como a luz do sol, a garota parecia um pequeno e doce anjinho do céu e de deus, era uma rapariga que parecia ter mais ou menos a mesma altura da Sora, tinha as suas formas de mulher bem salientes e perfeitamente formadas, e também tinha as medidas certas de um corpo belo, sem ser muito esquelética nem rechonchuda de mais, era um corpo perfeito, com um rosto angelical, era realmente uma garota muito linda. Ela estava sentada perto do portão de entrada, usava uma vestimenta bem diferente do que ele estava costumado a ver pelas redondezas, usava uma mini saia de ganga branca, estilo uniforme de colégio mas só que de ganga e de cor branca,uma linda blusa amarela clarinho justa ao corpo, com um lindo casaquinho da moda, os chamados bolero, um casaco de ganga, curto mais ou menos um pouco a baixo dos seios e de cor branca e muito fininho. Com quatro botões e apertado em um só botão, uns brincos e um colar de miçanga que dava mil e uma voltas, e uma boina branca e umas lindas sandálias douradas nos pés, era realmente uma garota muito bonita.
Ken estranhou o fato da garota estar ali, se fosse para participar do teste, ele só começaria dali a dois dias. Sem se importar muito ele foi fazer seu trabalho.
No dia seguinte...
Ken estava chegando no Kaleido Star para mais um dia de trabalho, quando notou no portão de entrada a mesma garota do dia seguinte. Mas dessa vez ele resolveu se aproximar e falar com a garota.
Próximo ao portão...
Mey: Faz dois dias que ela esta ali.
Sora: Ela quem?
Mey: Aquela garota que esta com o Ken, faz dois dias que ela esta ali no portão, acho que ela esta esperando abrir.
Sora: Então ela deve ter vindo para o teste.
Rosetta: Ela não parece ser daqui.
Mey: Talvez ela pense que, quem for o primeiro da fila já será pré-selecionado.
Sora: Ou talvez ela não saiba disso e esteja esperando.
Rosetta: Sora, você não se preocupa com isso?
Sora: Por que, eu deveria? – diz Sora com cara de quem não esta entendendo aonde ela queria chegar.
Rosetta: Claro, ela esta falando com o Ken...
Sora: Não vejo mal nenhum nisso.
Mey (pensando): Ou ela é inocente de mais ou é cega mesmo...
Rosetta: Vai me dizer que você não percebeu? E ela também é muito bonita.
Sora: Ai, ai, ai... O que você esta querendo dizer Rosetta. Percebeu o que?
Rosetta: Esquece Sora, não adianta.
Mey: Ela esta querendo dizer que aquela menina parece gostar muito do Ken.
Sora: E qual o problema nisso?
Mey e Rosetta caem no chão com uma gotinha na cabeça. (A Sora é sega mesmo, sem duvidas).
Voltando ao Ken...
Ele foi se aproximando da garota, mas logo de cara percebeu que ela não era dali.
Ken: Oi, você esta esperando alguma coisa?
A garota apenas acenou que sim com a cabeça.
Ken: Olha, o teste só começa amanhã. Porque você não vai pra sua casa e vem amanhã quando os portões se abrirem?
A garota acenou que não com a cabeça.
Nisso Ken começou a estranhar, a menina não deveria estar entendendo nada do que ele estava falando porque primeiro, ela não respondia com palavras as suas perguntas e segundo não olhava em seus olhos pra responder. Até que ele resolveu perguntar:
Ken: Você entende o que eu estou falando?
Ela apenas acenou que sim com a cabeça.
Ken: Então qual é seu nome? – essa era sua ultima tentativa de falar com ela.
Por um momento a menina pareceu ficar corada, Ken estranhou a situação, normalmente quando conversava com Sora era ele quem ficava vermelho. Por fim a garota resolveu responder:
Liliana: Meu nome é Liliana!
Ken não notara, mas seus olhos estavam brilhando, por alguns minutos toda aquela visão da Sora em sua vida havia se apagado, dando lugar à imagem de uma garota de rosto angelical e de cabelos loiros acastanhados, belos e ondulados e de uns olhos tão azuis como o céu e que o fitavam intensamente.
Ken: Eu sou o Ken e trabalho aqui no Kaleido Star. De onde você é?
Liliana: Eu sou do Portugal mais precisamente da ilha da Madeira, cheguei ontem pra fazer o teste, mas acho que cheguei cedo. – diz a menina disfarçando um sorriso.
Mey: Na verdade, você chegou três dias mais cedo.
Nesse momento Ken foi tomado por um certo espanto, Mey, Rosetta e Sora já estavam bem próximos aos dois. E pelo que Ken percebeu, Mey não parecia muito . Já que seus olhos pareciam fulmina-lo a distância.
Sora: Oi, então você veio para o teste.
Liliana: Sim. – respondeu a garota um pouco insegura.
Rosetta: Ouvi dizer que você é portuguesa, é verdade?
Liliana: é sim, eu sou portuguesa
Mey: Porque você esta desde ontem parada aqui na frente?
Por um momento a menina ficou mais vermelha que um pimentão.
Liliana: Her... É que como eu só vim pra fazer o teste e acabei chegando antes eu não tinha onde ficar.
Pro um momento Ken ficou espantado, ele teve a leve impressão de já ter visto aquilo antes.
Sora: Você não pode ficar aqui assim, porque não vem com a gente para o Kaleido Star.
Liliana: Eu posso?
Mey: Mas não pense que isso vai ajudar no teste.
Rosetta: Mey não seja mal educada.
Mey: Eu só estou esclarecendo as coisas, pra ela não pensar que isso pode interferir na nota dela no teste de amanhã.
Liliana: De maneira nenhuma e eu agradeço a gentileza.
Sora: Então me deixe fazer as apresentações. Eu sou Sora Naegino, a ruivinha é a Rosetta Passel e a estressada é a Mey Wong.
Liliana: Muito prazer, me chamo Liliana
Ken: Sora pra onde vocês vão? – pergunta Ken meio inseguro.
Sora: Se você não se importar eu pretendia levar a Liliana pra conhecer o Kaleido Star e se ela quiser pode ficar no dormitório com a gente até amanhã para fazer o teste.
Liliana: Não precisa se incomodar...
Mey: Hei garota, acho que você nunca ouviu falar da persistência da Sora, não é? Quando ela decide alguma coisa, não adianta nem discutir.
Rosetta: Não se preocupe, agora você tem um lugar pra ficar até amanhã.
Liliana: Obrigada! E o Ken não vem?
Ken (corado): Her... Eu tenho que trabalhar, mas vejo vocês mais tarde.
Sora: Então vamos –diz a garota sorrindo.
O Ken não tentava nem mais argumentar com Sora, mas era muito estranha aquela situação. Será que realmente Sora não se importava de ele estar conversando com outra garota. Então porque ela aparecera? Ken se despede aparentemente com cara de quem estava realmente muito confuso. Já que seus sentimentos por Sora só eram desconhecidos pela garota, mesmo porque todo o Kaleido Star já sabia que ele era apaixonado por ela, mas aquela menina nova, realmente tinha mexido com seus sentimentos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 4:17 am

--- Flash Back --- alguns minutos antes.
Mey: O que você vai fazer Sora?- pergunta Mey muito preocupada.
Sora: Eu vou conversar com aquela menina.
Rosetta: Ficou louca.
Sora: Porque? Ela parece não ser daqui, pode estar perdida.
Mey: Mas nem por isso você vai lá.
Sora: Eu só vou ajudar.
Rosetta: Quando a Sora resolve alguma coisa, não tem quem mude isso.
Por falta de recurso, Mey e Rosetta acabam seguindo Sora até a entrada do Kaleido Star onde Ken e Liliana estavam conversando.
--- fim do flash back ----
Dentro da lona do Kaleido Star...
As garotas estavam se divertindo ao visitarem todo o Kaleido Star, uma coisa era ver as coisas de dentro do palco, outra bem diferente era vê-las de fora, como um visitante e ainda mais tendo a Sora como guia turística. No meio do caminho, as garotas encontram com Carlos:
Carlos: Como vão meninas.
Todas: Bem!
Carlos: Quem é ela? – pergunta ele surpreso.
Sora: Ela é a Liliana, chegou ontem de Portugal e não tinha onde ficar, ai eu resolvi que ela ficaria comigo até o teste de amanhã.
Carlos (pensando): Espero que aqueles dois saibam se virar sozinhos, o teste de amanhã promete.
Sora: Algum problema Carlos?
Carlos: Não, nenhum. Eu quero aproveitar pra te dar um recado.
Sora: Algum problema?
Carlos: Não pelo contrário. Eu queria que você ajudasse o Leon e o Yuri.
Sora (pensando): Ai, ai, ai... Ele não esqueceu aquela idéia absurda.
Sora: Eu... Porque? – diz a garota um tanto rosada.
Carlos: Os dois estão trabalhando em um projeto novo para as reformas do Kaleido Star e seria bom se você pudesse ajudar com algumas idéias.
Sora: Mas não seria melhor a Mia, ela tem idéias melhor do que eu. –diz Sora tentando sair da reta.
Carlos (a fulminando): Eles já estão te esperando.
Era duro discutir com o chefe, então Sora se despediu das meninas pedindo que elas ficassem com Liliana até ela voltar. Mey pareceu não achar muito certo aquilo, pois ela ainda não tinha entendido direito àquela conversa da garota ter chegado alguns dias antes, mas a pedido de Sora resolveu ser mais educada e continuar o passeio com as meninas. Antes de Sora sair, Rosetta deu um sorriso maroto para a amiga, afinal atualmente todo o Kaleido Star já comentavam sobre a mudança que ocorrera em Leon após a ultima peça, mas quem ou o que causara isso, era evidente para todos, mas afinal ela estava no meio do fogo cruzado entre os dois caras mais populares e lindos do Kaleido Star, não é fácil pra ninguém...
No ginásio do Kaleido Star...
Uma grande mesa fora posta num canto do ginásio do Kaleido Star, como Yuri e Leon precisariam de muito espaço para organizar as plantas do prédio e prepararem os primeiros pontos que passariam por reformas, eles estavam quase que a metade do dia na frente daquela mesa cheia de papéis discutindo o que fariam primeiro.
Leon: Podemos começar pelo palco.
Yuri: Mas se ocorrer algum imprevisto, vamos fazer o quê?
Leon: Então o que você sugere?
Yuri: Vamos começar a ampliação pela parte de fora, assim não interfere no trabalho dos outros.
Leon: Mas isso vai levar um tempo que não temos.
Yuri: Se for por tempo, nós já estamos cinco horas sem resolver nada.
Leon (irritado): Se você não pensasse tanto nos prós e contras desse seu projeto nós iríamos mais rápido.
Yuri (+ irritado): O que você quer dizer com isso, ele foi aprovado não foi, até você concordou com ele, não é mesmo?
Leon: Isso porque... – nesse momento ele foi interrompido por uma voz suave que vinha do fundo do ginásio.
Sora: Oi pessoal! Interrompo alguma coisa? – diz a garota meio rosada.
Yuri: De maneira nenhuma, obrigado por ter vindo Sora.
Leon (fulminado Yuri): Espero que com você aqui, nós possamos fazer algum progresso, porque se depender do Yuri.
Yuri: Se você parasse de pegar no meu pé, quem sabe nós poderíamos ter progredido.
Leon: O Carlos mandou que eu te supervisionasse é o que estou fazendo.
Yuri: Não, você esta empatado o meu trabalho.
Leon: Então eu vou...
Sora: Vai a lugar algum, o Carlos mandou vocês trabalharem juntos e me jogou no meio desse rolo. Her... Quero dizer, me mandou ajudar. Então porque vocês não param de discutir e me explicam o que vai ser feito.
Uma corrente elétrica cruzou o olhar dos dois, não seria nada fácil fazer aqueles dois se darem bem a ponto de conseguirem trabalhar juntos.
Sora (pensando): O Carlos ficou louco, só pode. Fazer esses dois trabalharem juntos e ainda me colocar no meio do fogo cruzado. Ai, ai, ai... Porque eu?
Leon: Sora, o projeto de reforma consiste em...
Yuri (enfezado): Espera ai, o projeto é meu e eu explico.
Leon: Já que insiste. – diz Leon com um ar irônico.
Yuri: O projeto consiste em adaptar ao Kaleido Star mais uma lona.
Sora: Você quer dizer, ampliar o palco?
Yuri: Quase isso, como o próximo espetáculo a ser encenado será o Sonho de uma Noite de Verão, nós precisaremos de um espaço bem maior do que o normal, já que o numero de integrantes do elenco ira aumentar também. Por isso vamos ampliar não só o palco como a estrutura também.
Sora: Isso vai ser realmente incrível-vel-vel.
Yuri (sorridente): Foi o que pensei.
Leon: Mas ainda temos um problema, por onde começamos?
Sora: Pelo começo é claro.
Os dois caem no chão com uma gotinha na cabeça.
Sora: Calma, eu estava brincando. Esse problema é fácil de resolver, se o palco não estiver pronto, nós não poderemos trabalhar, então o certo seria começar por dentro e depois ampliar a parte de fora, isso levaria menos tempo do que se fosse o inverso.
Yuri (com cara de derrotado): Você pensa mesmo assim?
Leon (com uma cara de triunfo): Eu disse isso pra ele, mas ele me ouve?
Sora: Bem, resolvido esse problema, se vocês não se importarem eu vou treinar, qualquer coisa me chamem.
Leon: Obrigado pela ajuda, Sora.
Sora (corando): Não foi nada, agora vocês só tem que parar de discordar e trabalharem mais.
Os dois ainda pareciam discordar, mas resolveram trabalhar, ainda mais porque a Sora estava ali por perto. E não seria legal eles ficarem se “elogiando” perto dela.
No placo do Kaleido Star...
Liliana: Isso é realmente incrível.
Rosetta: Nos dias de espetáculo é ainda mais.
Mey: Eu acho que o melhor é estar lá em cima. – diz apontando para os trapézios.
Rosetta: Lembra Mey, da Eterna Ilusão.
Liliana: Foram vocês duas que criaram essa técnica para a peça Lago dos Cisnes não foram?
Rosetta (corada): Na verdade os créditos são todos da Mey.
As garotas passaram quase que o dia todo passeando pelo Kaleido Star. Quando pela tarde encontraram com Ken. Até mesmo Rosetta percebeu que Liliana e Ken estavam um pouco, como posso dizer, desconcertados. Mey que já notara logo de cara, chamou Ken em um canto onde Rosetta e Liliana não poderiam ouvi-la.
Mey: Ken acho que é melhor você pedir para outra pessoa tomar o seu lugar no teste de amanhã.
Ken (corado): Porque diz isso Mey?
Mey: Não se faça de ingênuo. Ken eu te conheço o suficiente pra saber que você esta apaixonado por essa menina.
Ken (vermelho): Do q-ue vo-cê es-ta fa-lando.? Diz o garoto meio gaguejando.
Mey: Olha, eu sei que você ficou muito tempo encanado na Sora e é normal você se interessar por essa menina, mas...
Ken (a interrompendo): Mey, você esta confundindo as coisas, eu e a Liliana somos só...
Mey (com aqueles dentes): Não mude de assunto, está escrito na sua testa. O que eu quero te dizer é que se você estiver no teste de amanhã você pode acabar prejudicando essa menina.
Ken (triste): Prejudicando, porque?
Mey: Eu sei que não é só impressão, porque ela parece gostar de você mesmo. Amanhã se você estiver no teste você vai tirar a concentração dela e ela não vai passar.
Ken: Você quer que eu me afaste, mas todo ano sou eu quem aplica os testes.
Mey: Mas até o ano retrasado você não tinha se apaixonado por nenhuma das candidatas.
Ken: (corado): Você diz isso pela Sora? Mas ela só me considera um amigo;
Mey: Ken, você mais do que ninguém entende que a única coisa que interessa pra Sora no momento é o Kaleido Star, mas você é a pessoa que ela mais admira e que sempre esta do lado dela. Só que nesse momento até ela é capaz de perceber que você realmente gosta dessa menina e se tem uma coisa que ela não ira permitir é que ela seja reprovada no teste da Layla.
Ken: Eu havia me esquecido, tem a Layla ainda, não é?
Mey: A srta. Layla é muito exigente com os novatos, esse é um dos motivos para que o Carlos tenha pedido a ela para estar presente no teste. Por isso eu peço, se você quer o melhor pra essa menina, não esteja no teste amanhã.
Ken: Mas quem vai estar lá?
Mey: Não se preocupe, eu peço para a Sora convencer o Leon ou o Yuri, eles podem dar um jeito nisso, sem a srta Layla perceber.
Ken: A Sora, porque a Sora?
Mey: Ela é a pessoa mais indicada, e confie em mim, sei o que estou fazendo.
Ken: Obrigado Mey.
Depois disso, cada um foi pro seu canto e o resto do dia Ken não se aproximou de Liliana.
No dia seguinte, Layla e Kate chegaram no Kaleido Star para fazerem o teste no novo grupo que entraria no K.S. Sora e Mey estavam muito felizes, afinal as duas contavam os dias para a chegada de Layla. Na hora do teste todos estavam presentes, inclusive Liliana. A garota parecia nervosa quando Mey se aproximou.
Mey: Não se preocupe, faça o teste com calma.
Liliana: O Ken não vem?
Mey: Dessa vez vai ser outra pessoa a aplicar o teste.
Liliana: Ufa.
Mey: Disse alguma coisa.
Liliana: Nada, não falei nada.
Mey deu um sorriso, era evidente que a garota gostava mesmo do Ken, pelo menos suas suspeitas estavam corretas, a garota passara os últimos dias na porta do Kaleido Star só para vê-lo chegar, isso realmente seria bom pra os dois.
Depois de seis horas de teste, finalmente Layla, Cathy e Yuri se decidiram por um grupo de sete pessoas, das setenta pessoas que haviam se apresentado. Entre essas pessoas estava Liliana, que se destacara como uma grande acrobata. Sora ficara muito feliz com isso, inconscientemente ela também torcia pelo novo casal. Depois de uma longa conversa com Mey, Sora ficou sabendo todos os detalhes sobre o possível romance de Ken e Liliana.
Um mês depois...
Finalmente Yuri e Leon concordaram com algumas coisas e conseguiram coordenar o final das reformas do Kaleido Star. Sem perceberem ambos acabaram se divertindo com a bagunça, mesmo discordando um pouco e tem a pobre da Sora apartar as brigas. Faltavam apenas dois dias para a estréia da peça.
Mia: Eu estou muito nervosa.
Anna: Até parece quer é a primeira vez que você sobe no palco
Sora: Nem fale, vocês lembram do primeiro dia que entramos juntas no palco.
Mia: É, nós realmente levamos um certo tempo para nos acostumarmos e aperfeiçoarmos o Tripla Ilusão.
Sora: Isso é claro; depois de cairmos muito.
As garotas riram... Mas em um canto do camarim alguém parecia realmente nervosa a ponto de nem ouvir as besteiras que as meninas falavam. Liliana, que finalmente teria sua estréia no novo Kaleido Star parecia realmente nervosa.
Liliana(pensando): Será que vai dar certo, eu não quero atrapalhar ninguém, mas elas já estão aqui há mais tempo que eu. Eu não sei o que fazer.
Enquanto Mia e as outras meninas conversavam e se preparavam para a peça, Sora saiu de fininho do camarim e por sorte encontrou Ken na metade do caminho. O garoto pareceu surpreso ao vê-la.
Ken: Tudo bem com você, Sora?
Sora: Esta sim Ken, obrigada por perguntar.
Ken: Você não deveria estar se arrumando para entrar no placo daqui a pouco?
Sora: Eu deveria, mas precisava falar com você antes.
Ken: Comigo? – pergunta o garoto corando por um momento.
Sora: Sim, é sobre a Liliana.
Ken (corado muito): O que tem ela?
Sora: Seja sincero Ken, você gosta dela, não é mesmo?
Ken (muito, muito, muito vermelho): Her.. Sora... Aonde você quer chegar com isso Sora?
Sora: Apenas responda.
Ken: Eu gosto muito dela, mas...
Sora: Então porque não foi falar com ela?
Por um momento o garoto ficou surpreso, nem mesmo ele imaginava aquela atitude de Sora. Ele estava desconcertado por ter de falar que estava em duvida sobre seus sentimentos.
Ken (corado): Por que, eu deveria?
Sora: Claro que sim. Ela esta muito nervosa, ainda mais depois de ver o Kaleido Star cheio e nesse momento ela precisa do seu apoio.
Ken (corado): Do meio apoio?
Sora: Isso mesmo, Ken. A Liliana gosta muito de você e o que ela precisa nesse momento é de você ao lado dela.
Ken (sério): Você tem certeza disso?
Sora: Não há porque você ter duvidas, está escrito na sua teste que você também gosta dela. Agora não pense muito e vá falar com ela. Vocês dois são pessoas especiais e merecem ficar juntos.
Ken (pensando): Você esta certa, não há por que ter dúvidas.
Sora: Vá logo Ken.
Ken: Sora, obrigado!
Sora: Não foi nada, você é o meu melhor amigo, por isso eu quero o melhor pra você, agora, boa sorte.
Ken (pensando): melhor amigo, não é ?
Os dois se despediram, Sora voltou correndo para o camarim, dando somente um tempo de distancia para a chegada de Ken, isso porque, ela precisava tirar as meninas de lá de dentro, afinal ela não queria ninguém segurando vela.
Como sempre, após o final da peça, Sarah encontrou um motivo para fazer uma festa, na verdade foram três. O primeiro era o novo visual do Kaleido Star e o trabalho de Yuri e Leon havia ficado realmente incrível, o segundo era que finalmente aqueles dois haviam se acertado, mesmo eles quase se matando no palco na hora de interpretarem seus papéis (já que por idéia da Mia, ambos seriam rivais pelo amor de uma garota quem é ela, fica a cargo da imaginação de cada um para descobrir), mas no final nenhum dos dois saiu machucado e o terceiro era o mais comentado em todo os K.S. era sobre o novo casalzinho. Finalmente Ken havia tomado coragem de se declarar a Liliana e os dois estavam namorando.
Rosetta e Mey ainda não entendiam muito bem o que tinha acontecido, mesmo porque Ken havia demorado um mês para fazer aquilo e minutos antes da peça começar ele aparecera pra falar com a menina. Apoiando-a e a tranqüilizando.
Mia e Anna que observaram tudo a distancia perceberam o dedinho de Sora no meio, afinal só ela poderia fazer o garoto desencanar de vez e partir pra outra.
E como o Carlos mesmo disse uma vez. “Essa é uma nova fase do Kaleido Star...”.
-----Fim da lembrança-----
Ken acabou de se lembrar desse episódio maravilhoso da sua vida e prometeu para si próprio que por tudo o que tinha de mais sagrado na vida iria ajudar a Sora a encontrar o seu caminho em relação aos dois pretendentes tal como ela o tinha ajudado a ele. Custasse que tivesse que custar iria ajudar a sua melhor amiga, ele iria ajuda lá a finalmente descobrir qual dos dois acrobatas realmente amava e finalmente se declarar a essa pessoa tão especial
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 4:18 am

bem pessoal o bonus d cinco capitulos acabou por aqui espero que tenham gostando e contiuem comentando

Ha uma lenda que trazida pelo vento me ensina a sorrir
(nasce o dia aprece sora de costas, vestida com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star).

E me dá forças para viver, onda as borboletas vão livres e é assim
(aparece todo o elenco do kaleido star a fazer acrobacias e a saltar)

nenhum coração é triste e assim nascem flores coloridas no meu jardim, nascem flores coloridas no meu jardim, e assim nascem flores coloridas no meu jardim
(aparecem os rostos do Leon e do Yuri a olharem um par o outro em sinal de desafio)

Ha uma lenda onde existe um sentimento que nunca vai acabar que levo dentro de min onde as dores nunca chegam , onde não existe medo, e é assim é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir
(aparece sora a correr na praia com um vestido branco e um chapéu de palha de repente ele voa para o sol e tudo se enche da luz do sol)


Faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões, que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, faça que o anjo, que vive nos seus sonhos, cuide da criança que ha em nos,e quando cresça, nunca se esqueça, porque perdera o seu coração
(aparece uma rapariga de rosto tapado pelos cabelos castanhos encaracoladas com vestido cor de rosa cheio de folhinhos e assegurar numa sombrinha também cor de rosa)


Ha uma lenda que a vovo contava sempre e que eu vou te contar para você poder sonhar onde a maldade perde e eu bem que sempre vence e é assim só quem sonha é feliz até ao fim só quem sonha é feliz até ao fim, so quem sonha em feliz até ao fim
(aparece sora, Leon, Yuri, e a rapariga do vestido cor de rosa a fazer uma vênia)

faça a lenda valer pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, façam que o anjo que vive no seu coração, cuide da criança que ha em nos e quando cresça nunca se esqueça porque perdera o seu coração
(aparece Sora, Leon, Yuri, Rosseta e a rapariga cor de rosa a voarem no ar, com as asas de um anjo no ar e foll a rodar entre eles e a lançar o seu pozinho dourado)


faça a lenda valer a pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valer a pena, essa lenda valer a pena
(aparece sora a balouçar em cima de um trapézio muito sorridente e foll no ombro dela)


faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valera pena faça, essa lenda valera pena
(aparece sora de costas a noite com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star e de repente aparece o pessoal do kaleido star a correr para ela e o fool a lançar o seu pozinho e a voar até ao topo do kaleido star)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
layla_killian
parceira de 1 estrela
parceira de 1 estrela
avatar

Número de Mensagens : 47
Data de inscrição : 11/07/2007

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Qui Jul 12, 2007 7:13 pm

AII NAO ME FARTO DE DISER ISTO

TA SUPERRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR

LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO



E MT OBRIGADA PELO BONUS^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Sab Jul 14, 2007 7:05 pm

Ha uma lenda que trazida pelo vento me ensina a sorrir
(nasce o dia aprece sora de costas, vestida com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star).

E me dá forças para viver, onda as borboletas vão livres e é assim
(aparece todo o elenco do kaleido star a fazer acrobacias e a saltar)

nenhum coração é triste e assim nascem flores coloridas no meu jardim, nascem flores coloridas no meu jardim, e assim nascem flores coloridas no meu jardim
(aparecem os rostos do Leon e do Yuri a olharem um par o outro em sinal de desafio)

Ha uma lenda onde existe um sentimento que nunca vai acabar que levo dentro de min onde as dores nunca chegam , onde não existe medo, e é assim é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir
(aparece sora a correr na praia com um vestido branco e um chapéu de palha de repente ele voa para o sol e tudo se enche da luz do sol)


Faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões, que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, faça que o anjo, que vive nos seus sonhos, cuide da criança que ha em nos,e quando cresça, nunca se esqueça, porque perdera o seu coração
(aparece uma rapariga de rosto tapado pelos cabelos castanhos encaracoladas com vestido cor de rosa cheio de folhinhos e assegurar numa sombrinha também cor de rosa)


Ha uma lenda que a vovo contava sempre e que eu vou te contar para você poder sonhar onde a maldade perde e eu bem que sempre vence e é assim só quem sonha é feliz até ao fim só quem sonha é feliz até ao fim, so quem sonha em feliz até ao fim
(aparece sora, Leon, Yuri, e a rapariga do vestido cor de rosa a fazer uma vênia)

faça a lenda valer pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, façam que o anjo que vive no seu coração, cuide da criança que ha em nos e quando cresça nunca se esqueça porque perdera o seu coração
(aparece Sora, Leon, Yuri, Rosseta e a rapariga cor de rosa a voarem no ar, com as asas de um anjo no ar e foll a rodar entre eles e a lançar o seu pozinho dourado)


faça a lenda valer a pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valer a pena, essa lenda valer a pena
(aparece sora a balouçar em cima de um trapézio muito sorridente e foll no ombro dela)


faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valera pena faça, essa lenda valera pena
(aparece sora de costas a noite com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star e de repente aparece o pessoal do kaleido star a correr para ela e o fool a lançar o seu pozinho e a voar até ao topo do kaleido star)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Sab Jul 14, 2007 7:06 pm

e hoje teremos um especial de dois capitulos

A Lenda

Capitulo 7: Fênix.

I – Fênix de Fogo – Aperfeiçoamento.

Todo o elenco do Kaleido Star já se dirigia ao palco para assentirem ao duelo... Quero dizer, teste, que Yuri e Leon fariam. Intimamente o fã clube dos dois já fazia suas apostas pelos favoritos.

-Carlos, e a Sora? –O Sr Kennedy perguntou, saindo da sala do empresário em direção ao palco junto com ele.

-Não tenho noticias dela desde a reunião; Carlos respondeu. –Mas creio que ela não vai desistir do papel principal com tanta facilidade;

-O que quer dizer? –o idoso perguntou.

-Conheço a Sora a tempo suficiente pra ter certeza de que ela vai dar um jeito de colocar os dois nessa peça sem que nós interfiramos; ele respondeu.

-Interessante; o empresário murmurou. –“Mal posso esperar pra ver isso; ele concluiu em pensamentos.

-o-o-o-o-

Todos que se dirigiam às entradas para o palco, pararam intrigados ouvindo o som de vozes vindas de lá de dentro. O empresário e Carlos entraram em silencio por uma das entradas laterais, enquanto ao longe outras pessoas também faziam o mesmo.

-Seja mais rápida na troca das barras; Ken falou. Embora pouco tempo houvesse passado desde que haviam retomado o treinamento, já conseguia ver que a técnica já estava tomando forma.

-To tentando; ela respondeu, ofegante.

-É melhor fazermos uma pausa; Ken sugeriu preocupado com o fato dela estar cansada de mais.

-Não; Sora respondeu trocando de barra com mais velocidade dessa vez.

-Teimosa; ele falou com meio sorriso.

-Eu nunca disse que supervisionar meu treinamento seria fácil; ela respondeu, com um meio sorriso.

-Não se preocupe, quanto a isso já estou vacinado; Ken falou, lembrando-se das outras vezes que haviam passado a noite em claro treinando para algum desafio que a jovem se metera.

Embora cansada, Sora segurou com suavidade no trapézio espiral, balançando um pouco para pegar o impulso.

Jogou todo o corpo pra frente aumentando a velocidade para o salto, fazendo o corpo dobrar-se em um ângulo de noventa graus, passando por dentro da argola do trapézio.

Soltou as mãos do trapézio, seu corpo subia e se distanciava com uma velocidade incrível que parecia aumentar a cada vez mais.

Abriu os braços para os lados ficando com as costas voltadas para baixo ainda subindo.

Inclinou a cabeça pra trás quando sentiu o corpo começar a perder a velocidade e cair, fechou os braços em frente ao corpo, girando em volta de si mesma, virando de ponta cabeça, caindo em limite vertical.

Seus olhos estavam fechados, porem já calculara o tempo da troca de trapézio para alcançá-lo antes da queda.

Todos olharam espantados a formação da técnica, que não levaria muito tempo para ficar completamente perfeita. Se perguntando qual era a nova que a acrobata vinha ocultando.

Mia e Ana olharam espantados, conheciam aqueles princípios, a forma como ela iniciara segurando-se no trapézio e inclinando o corpo em noventa graus. A velocidade empregada, mas havia algo diferente que ainda não sabiam descrever o que era.

-“O Fênix Dourado”; Laila pensou, entrando com Kate por uma outra entrada paralela com o palco. –“Não, é outra técnica”; ela concluiu, vendo que a jovem não só usava as mãos, mas também o corpo todo, numa incrível harmonia para aperfeiçoar aquela técnica.

Leon e Yuri acabavam de entrar no palco quando viram a técnica, executada pela jovem, tendo a mesma reação de surpresa.

-“Incrível”; Leon pensou. –“Que técnica é essa?”. Ele se perguntou.

Sora deixou o corpo cair em queda livre passando pelo trapézio. Quando todos pensaram que ela fosse cair, a mesma abriu as pernas fazendo com que elas servissem de gancho para agarrar o trapézio. Deu um novo impulso só com as pernas, saltando e segurando a barra seguinte.

Respirava pesadamente, sentindo o cansaço da noite de treino se manifestar de forma intensa.

-Ken, já deu por hoje; ela falou passando mão pela testa.

-Está certo, desça rápido, acho que o pessoal já vai chegar para o teste; ele falou olhando para o relógio de pulso, notando que eram quase oito e meia da manhã.

-Teste? –ela perguntou, caindo de costas na rede.

-Leon e Yuri. Esqueceu? –Ken perguntou, desligando o laptop e colocando dentro de uma mala.

Ninguém mais parava de dizer que aquele era o ‘duelo’ do século, mas a jovem parecia alheia a esse fato. Ou pelo menos queria que pensassem assim.

-Era hoje? –Sora perguntou espantada, perdera mesmo a noção do tempo, sendo que ontem mesmo conversara com os dois em meio aos treinos.

Retirou o fone de comunicação do ouvido, enquanto se aproximava do jovem. Sem notar que todos já estavam se acomodando pela arquibancada.

-Aonde você anda com a cabeça, hein? -ele perguntou com um sorriso maroto.

Ela simplesmente apontou para cima. Ken franziu o cenho ao deparar-se com o trapézio. Voltou-se pra ela com a sobrancelha arqueada.

-Você entendeu o que eu quis dizer;

-Uma coisa não tem nada a ver com a outra; ela respondeu, gesticulando nervosamente com a face corada.

-Sei; ele falou terminando de guardar os equipamentos.

Mei e Rosetta aproximaram-se dos dois visivelmente curiosos.

-Sora que técnica foi aquela? –Mei perguntou empolgada.

-Ahn! –ela murmurou, voltando-se para trás e deparando-se com todo o elenco lhe olhando, como se esperassem a resposta.

-Então, que técnica é aquela Sora? –Rosetta perguntou impaciente.

-Bem...; Ela começou sorrindo nervosamente. Olhou para todos os lados desesperada, não tinha outra alternativa. –Ken; ela chamou, puxando o garoto pelo braço.

-O que? –ele perguntou, sentindo dois olhares retalhadores sobre si.

-Tenho que sair, mas conta pra elas sobre a técnica; Sora falou dando uma piscadela pra ele e saindo rapidamente do palco, quase correndo pra não correr o risco de alguém lhe alcançar.

-Ken; as duas falaram, voltando-se pra ele que tinha uma gotinha no canto da testa.

-Ahn! Bem...; Ele começou suando frio, já que Mei começava a mostrar os seus dentinhos. –Venham aqui; ele falou, puxando-as para longe, impedindo que os outros pudessem ouvir.

-Então? –Mei perguntou.

-É uma técnica bastante ousada; ele começou, chamando a atenção das duas.

-Ousada? –Rosetta perguntou, estranhando.

-O quanto ousada? –Mei perguntou impaciente.

-Bastante, diria que fogosa também; ele completou, tentando não rir da cara das duas.

-Ousada e fogosa, que tipo de técnica é essa?- Mei se perguntou colocando a mão no queixo, tentando imaginar como seria a tal técnica.

-Secreta; ele respondeu inocentemente.

-Como? –as duas perguntaram, confusas.

-Essa técnica é secreta, se eu contasse teria de matá-las depois; ele completou com um sorriso divertido. –Até logo meninas;

Antes que elas pudessem processar a mensagem o jovem já havia saindo do palco, sob o olhar curioso de todos que não conseguiram ouvir o que ele falara.

-Então, descobriram algo? –Mia perguntou, tão ou mais curiosa que os demais.

-É secreta; Rosetta respondeu, ainda sem acreditar que Ken lhes dera aquela resposta.

-Como assim? –Anna perguntou.

-Se nós te contássemos teríamos que te matar depois; elas falaram juntas, fazendo pose de mafiosos italianos.

-Ahn? –Mia perguntou arqueando a sobrancelha.

-Esquece; Mei falou, sentando-se ao lado dela, para assistir ao teste.

II – Fracasso.

Todos ainda olhavam atônitos para o trapézio se perguntando que técnica era aquela.

-Ian, por favor, retire a rede para começarmos logo; Carlos pediu, tomando seu lugar na primeira fileira junto com o empresário idoso, Kate e Laila.

-Nossa, que técnica é aquela? –Kate perguntou empolgada.

-Não faço idéia; Laila respondeu. –Por um momento pensei que fosse o Fênix Dourado, mas tem algo diferente; ela completou com o olhar vago.

-Fenix Dourado, não é a sua técnica? –Kate perguntou.

-...; Laila assentiu.

-“O que será que a Sora esta tramando?”; Yuri se perguntou, mantendo-se distante dos outros até que a rede fosse retirada. –“Porque ela iria querer executar o Fênix Dourado?”; ele se questionou. –“Mas, só se”; ele parou bruscamente, lançando um olhar de esguelha ao outro acrobata. –“Não é possível, ela não se lembraria, ou se lembraria?”; ele se perguntou.

-Creio que você percebeu não é? –alguém perguntou atrás de si.

Yuri voltou-se para trás deparando-se com o bonequinho flutuante. Arqueou a sobrancelha, quando chegara em casa até admitia que o cansaço era tanto que estava vendo coisas, mas agora já era demais. Voltou o olhar em direção ao palco o ignorando.

-Quanto tempo mais vai me ignorar garoto? –Fool insistiu, irritado por ser ignorado.

-Yuri. Leon. Pro palco; Carlos mandou.

-Puff; Yuri resmungou, indo para lá.

-Deveria reconsiderar, nem sempre agir por impulso é a melhor alternativa; Fool falou, porem ele já estava longe. –“Não me ouviu, enquanto esses dois continuarem sendo imaturos assim nunca vão entender o verdadeiro significado da Lenda”; ele pensou.

Leon lançou um olhar de canto para Fool que agora estava flutuando em cima do ombro de Rosetta, mas nada falou. Ainda lhe custava acreditar no que o espírito do palco lhe falara.

-Flash Back-

-Eu só posso estar ficando louco, estou falando com um boneco; o jovem de cabelos prateados falou.

-Se duvida da minha existência, pergunte a Sora; Fool falou numa calma assustadora.

-Sora; ele murmurou.

-A cerca de cinco anos atrás Sora foi à escolhida para desafiar o destino e realizar junto com Laila a técnica Fantástica; ele começou. –Após o desafio da técnica Angelical uma nova estrela nasceu, Rosetta passou a poder me ver; Fool falou, nesse meio tempo, o globo cristalizado em sua mão mostrava a face das jovens e rápidos trechos do que ambas passaram. –Agora você foi o escolhido pelo destino, mas somente se estiver preparado, poderá ser a verdadeira estrela.

-Verdadeira estrela? –ele perguntou confuso.

-Não são todos que poderão desvendar os segredos da Lenda. Mas quando a vida imitar a arte, você saberá a resposta, porem os caminhos mais fáceis nem sempre são os certos e sua imaturidade, só vai afastá-lo de seus sonhos; ele completou.

A luz do ginásio voltou a acender-se e Fool desaparecera da frente de seus olhos.

-Fim do Flash Back-

-É melhor não se esquecer do que combinamos; Yuri falou, lhe chamando a atenção.

-...; Leon arqueou a sobrancelha, agora não estava mais tão certo quanto àquela idéia de Yuri, mas não tinha mais volta. –Certo;

Os dois se encaminharam para os seus respectivos trapézios.

-O que eles estão falando? –Rosetta perguntou intrigada.

-Não sei, mas eles estão tramando algo; Anna falou, fazendo pose de Sherlock Holmes.

-E o que será? –Mia se perguntou.

-Bom dia, meninas; Sora falou sorrindo inocentemente, enquanto juntava-se a elas.

-SORA; as quatro gritaram.

-Xiii, vai tirar a concentração deles; ela as repreendeu apontando para o trapézio.

-Ta fazendo o que aqui? –Mia perguntou, pensara que ela havia ido embora.

-Vim assistir ao teste; ela respondeu casualmente;

-Mas...;

-Que técnica era aquela? –Mei perguntou a queima roupa, cortando o que Mia iria falar.

-Xiii, já vai começar; Sora falou, fazendo sinal para que ela se calasse por que os dois já estavam nos seus respectivos lugares.

-“Droga, eu ainda descubro”; Mei pensou, bufando.

Sora virou-se em direção ao palco, recostando-se melhor na poltrona.

-“Quem será que vai vencer?”; Rosetta se perguntou, ansiosa.

-o-o-o-o-

Yuri e Leon trocaram um olhar cúmplice. Era hora de colocar em pratica o plano que traçaram. Nenhum dos dois venceria, mesmo porque não pretendiam ser protagonistas em uma peça que não a tivessem como parceira.

Os movimentos vez ou outra variavam entre rápidos de mais ou lentos. Trocavam de trapézio, quase se chocando entre si, mas rapidamente mudavam a trajetória.

-O que eles estão fazendo? –Kate perguntou num sussurro pra Laila.

-Não consigo acreditar nisso; Laila falou, balançando a cabeça, inconformada.

-O que?

-Carlos contou que a Sora desistiria do papel principal se tivesse que escolher um dos dois; ela respondeu.

-Ela ficou louca? –Kate perguntou espantada.

-Não, ela esta certa com relação a isso; a acrobata respondeu calmamente. –Mas o Carlos disse que eles pediriam demissão se ela não fosse a parceira deles;

-Agora é eles que surtaram; a diretora falou, mais espantada ainda.

-Se conheço Yuri o suficientem essa idéia foi dele; Laila falou balançando a cabeça. –Ele é muito teimoso quando é contrariado;

-Como assim? Fazer essa apresentação medíocre? –Kate perguntou.

-Exatamente, assim se os dois fizessem uma apresentação ruim, o Carlos não teria como escolher entre eles;

-Mas...; Kate começou, sem encontrar palavras para descrever aquilo. –Sora; ela murmurou.

-O que? –Laila perguntou, voltando-se na direção que ela apontava.

Nesse exato momento a jovem havia se levantado de seu lugar e estava próximo a eles na primeira fileira, mantendo o olhar fixo nos dois. Aquele teste realmente prometia muitas surpresas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Sab Jul 14, 2007 7:08 pm

Capitulo 8: Mudanças.

I – Explosão.

Arregalou os olhos surpresa. Esperava qualquer explosão de egocentrismo daqueles dois no meio da apresentação, mesmo porque não era a primeira vez que os veria usando o palco para acertarem as diferenças, mas não esperava algo tão... Tão sem explicação; Sora pensou, serrando os punhos nervosamente.

Ao contrario do que os outros pensavam, ela não estava tão alheia assim às desavenças entre os dois acrobatas. A mais de seis meses atrás, pouco antes de Yuri viajar, os três haviam organizado juntos o projeto do ‘Festival do Cravo, espetáculo no qual lhes rendera boas historias, mas a questão era, que embora tentassem conviver juntos os conflitos eram evidentes.

-“Não acredito que por causa dessas desavenças eles estão agindo assim”; ela pensou, observando a apresentação dos dois nos trapézios. –“Não posso deixar que isso continue”;

-Acha que essa é uma preocupação que você deve ter, como estrela do Kaleido Star? –a voz do espírito do palco soou em sua mente.

Sora franziu o cenho, não era a primeira vez que ele lhe falava aquilo, mas desde quando entrava em seus pensamentos. Desviou o olhar do palco e voltou-se para Rosetta. Fool ainda flutuava sobre o ombro dela, mas parecia lhe encarar.

-Sabe do que estou falando, não é? –sim, ela sabia.

-Eles não lutaram tanto para serem os melhores e deixarem que um absurdo desses estrague tudo; ela respondeu convicta.

-Você não pode mudar o mundo Sora; Fool rebateu.

-Mas vou mudar o que estiver ao meu alcance; ela respondeu.

-Acha que é disso que eles precisam? Duvido muito que poderiam ser realmente estrelas, ou até serem seus parceiros. Acha que a técnica que esta criando é merecedora de um parceiro tão fraco? –ele alfinetou.

-“Fraco”; ela pensou confusa. –O que quer dizer com isso?

-Você deveria saber, é a execução da sua técnica que esta em jogo; ele respondeu de forma enigmática.

-“O motivo”; Sora concluiu arregalando os olhos. –“Eles esqueceram porque começaram”; ela pensou, abaixando a cabeça com um olhar triste.

-Vejo que entendeu o que eu quero dizer; Fool falou, de certa forma, satisfeito com o resultado que obtivera. –Creio que seja melhor escolher qualquer um dos dois, afinal, não conseguira executar aquela técnica com todo o seu potencial mesmo e quem será seu parceiro não fará diferença alguma;

-Nunca; ela respondeu serrando os punhos e se levantando.

-Sora, senta; alguém pediu atrás de si, porém a mesma ignorou saindo de seu lugar e encaminhando-se para a primeira fila.

-Não vou desistir de nenhum dos dois, nem que eu tenha que me transformar no demônio dos dois, eles vão conseguir se lembrar;
-Tais desafios, são só para tolos; Fool falou, ainda permanecendo ao lado de Rosetta, que parecia alheia a tudo o que acontecia entre os dois. –Acha que eles estão preparados para isso?

-Não me importo com o risco, não vou desistir; ela respondeu. –De que adiantaria criar uma técnica que fosse capaz de despertar esse sentimento nas pessoas se nem ao menos eu consigo ajudá-los, mas antes dessa técnica tomar formas, eles vão conseguir;

-Como vai Sora? –o empresário idoso lhe cumprimentou, tirando-lhe de seus pensamentos.

Sora voltou-se pra ele, notando o olhar curioso de todos sobre si, engoliu em seco. Se era para começar a mudar algumas coisas, teria de ser agora.

-Sinceramente Sr Kennedy, eu poderia estar melhor; ela respondeu com um olhar gélido. Todos olharam pra ela com os olhos arregalados, até Laila franziu o cenho.

-Algum problema? –o empresário perguntou curioso.

-Nada que não possa ser resolvido agora; ela falou, voltando-se para o chefe. -Carlos; Sora chamou.

-Sim; ele respondeu, já imaginando o que ela tinha em mente.

-Se eu tirá-los lá de cima, você vai se irritar? –ela perguntou seca, porém com certa cautela.

-Fique a vontade, já estava me cansado de ver isso; ele respondeu dando de ombros.

-Ótimo; Sora murmurou, encaminhando-se para um dos trampolins que poderia lhe levar pra os trapézios.

-O que deu nela? –Kate perguntou espantada para Laila, nunca vira a garota agir daquela forma.

-Creio que ela percebeu que só vai conseguir aperfeiçoar aquela técnica quando seu parceiro estiver no mesmo nível; Laila respondeu paciente.

-Mas tanto Yuri como Leon são ótimos acrobatas, o que esta acontecendo com eles? –ela perguntou, aflita.

-Só posso te dizer que aquele anjo que vimos nascer no Lago dos Cisnes acaba de se transformar em um demônio; Laila respondeu de forma enigmática. –“Não sei que técnica você pretende executar, mas deve ser algo bem grandioso, pra te obrigar a mudar dessa forma para fazê-los entender”; ela pensou.

Uma nuvem de tensão pareceu cair sobre a cabeça de todos que estavam na expectativa. Ainda mais ao verem Sora saltar do trampolim em direção a um dos trapézios;

Já imaginavam que alguém iria interferir. A verdade é que aquela apresentação feita por Yuri e Leon não só estava medíocre, como até mesmo um amador faria melhor. Técnicas cansativas de se verem com movimentos arrogantes e agressivos, deixando o ambiente carregado, diferente de quando um dos dois atuava com Sora como parceira.

-PAREM; ela gritou, agarrando-se a um trapézio que ficava entre os dois.

-Sora; eles falaram surpresos. Não era a primeira vez que se viam em um triangulo desses.

-O que pensam que estão fazendo? –ela perguntou entre dentes, fitando-lhes com um olhar gélido.

Para quem sempre estava sorrindo, sendo tão carismática e gentil não importando o momento, estava deixando a todos surpresos com essa explosão, pois ela realmente parecia irritada, ou queria que eles acreditassem que era assim.

-Não ouviram o que eu perguntei? –Sora repetiu, alterando o timbre de sua voz, permanecendo no trapézio, segurando-se por uma mão só.

-Hoje é o teste para escolher o protagonista da peça e é esse teste que estamos fazendo, Sora; Leon respondeu com certa cautela.

A jovem voltou-se para ele com um olhar tão mortal que Leon quase caiu do trapézio.

-É isso mesmo, Sora; Yuri concordou, não poderia sair fora depois de ter a idéia e convencer o outro acrobata a fazê-lo também.

-Desçam do trapézio; ela mandou, fechando os olhos e suspirando pesadamente, sem encará-los.

-O QUE? –eles gritaram surpresos.

-Desçam; Sora repetiu, olhando para os dois, de forma que subentendesse que não era um pedido.

-Mas...; Yuri tentou argumentar.

-AGORA; ela gritou.

Engolindo em seco os dois desceram sob o olhar espantado de todos. Ainda se perguntavam o porque dela estar agindo daquela forma tão fria, chegando a desejar a velha Sora de volta.

-O teste foi cancelado Carlos; Sora falou, quando o chefe se aproximou, junto com o investidor.

Todas as atenções estavam voltadas para os três...

-Sora, o q-...; Leon foi cortado.

-Espero que estejam envergonhados por isso; ela falou com a voz tão cortante quanto uma navalha. –Eu poderia esperar qualquer infantilidade vinda de vocês dois, menos algo tão ordinário;

-Sora; todos murmuraram espantados.

Nem um murmúrio era ouvido em todo o palco...

-O mínimo que vocês podem fazer é se desculpar com todos aqui, aonde já se viu, dois acrobatas do nível de vocês desrespeitarem o palco e os espectadores dessa forma; Sora falou, embora tentasse se manter fria estava triste por ter de agir com eles dessa forma, mas era preciso.

-“Ela realmente esta disposta a levar isso adiante”; Fool pensou surpreso.

-Lutaram tanto para serem os melhores naquilo que fazem para chegar até aqui e mostrarem um monte de técnicas medíocres, vocês nem se lembram mais porque começaram. O que lhes leva a crer que um dos dois tem capacidade pra ser protagonista?

-Nossa; Mei murmurou espantada.

-“Porque começamos?”; Yuri se perguntou confuso.

-Vocês são imaturos de mais para entenderem algo tão obvio; ela falou com pesar. –E isso é muito triste.

-Caramba. Nunca pensei que a Sora fosse fazer algo assim; Rosetta cochichou para Mei que assentiu chocada.

-Carlos; Sora chamou.

-Sim;

-Creio que será melhor cancelar a peça, até que um acrobata maduro o suficiente apareça; ela sugeriu.

-Acho que vai ser melhor; ele concordou.

-Porque não lhes damos uma segunda chance; o empresário sugeriu. –Afinal, nem todas as idéias que temos dão cem por cento certas; ele completou de forma enigmática, voltando-se para os dois.

Sora voltou-se para os dois com um olhar mais brando, via o quanto eles estavam abalados e confusos, mas era preciso que começassem do zero novamente para entenderem o que aquilo realmente significava.

-“Somente um demônio pode criar um anjo”; Sora pensou, lembrando-se do que ambos lhe falaram a alguns anos atrás. –“Agora é a minha vez de ajudá-los, espero que me perdoem por isso um dia”; ela pensou. –Estão dispostos a provarem que realmente merecem um voto de confiança?

-...; Os dois assentiram silenciosamente.

-Acho que não ouvi; Sora falou. –Alguém ouviu algo? –ela perguntou, elevando o tom de voz, para que todos ouvissem.

-Não; todos responderam em coro, achando aquela situação interessante. Pelo visto as coisas iriam mudar radicalmente dali pra frente.

-Vocês poderiam repetir, por favor, mais alto dessa vez; Sora falou com uma calma assustadora.

-Estamos; eles falaram juntos.

-Todos aqui presentes nesse palco são testemunhas do que vocês falaram, é bom que realmente façam por merecer; Sora completou lhes dando as costas. –Vocês têm uma semana até o teste final, se não a peça será cancelada; ela completou.

Todos viram-na sair do palco sem olhar para trás, ainda chocados com aquela reação.

-Agora sim eu acredito que ela é devota praticante dos ensinamentos da Laila; Anna comentou, vendo que a acrobata também ouvira e estreitara os orbes em sua direção.

Todos assentiram...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Sab Jul 14, 2007 7:08 pm

II – O Motivo.

-Fool, porque a Sora ta agindo assim? –Rosetta perguntou, vendo que todos ainda pareciam paralisados.

-Rosetta, a Sora sabe o que faz, se os achou imaturos de mais deve ter seus motivos para preferir outro parceiro mais competente; ele falou, embora intimamente estivesse curioso por saber até quando ela conseguiria manter-se nessa posição para que eles se lembrassem. -“Uma semana é muito pouco, mas se ela acha que pode conseguir, só me resta esperar”;

-HEI sua miniatura de poltergaist, vem falar isso na minha cara; Yuri mandou furioso.

-Será que o que a Sora falou deixou o Yuri tão descontrolado que ele pensar estar vendo coisas? –Anna perguntou para as demais.

-Isso mesmo, falsificação de Gasparzinho; Leon falou, aproximando-se de Rosetta com um olhar que no mínimo gelaria o inferno.

-Até o Leon; Mei falou, com o cenho franzido.

-“Não é possível que eles estejam vendo o Fool?”; Laila pensou, arregalando os olhos. –“Mas se eles podem ver o Fool, isso quer dizer...”; ela não completou o pensamento.

Antes que Fool pudesse fugir Leon o agarrou, olhando-o curiosamente, embora já o houvesse visto de perto ainda lidava a acreditar naquilo.

-Será que eles piraram? –Mariun perguntou.

-Uh? Uh? Uh? –Yunathan perguntou, batendo as patinhas em cima da cabeça da jovem. Apontando o espírito do palco.

-Me solta; Fool falou tentando afastá-lo, mas Leon virou-o de ponta cabeça.

-Porque ele deveria? –Yuri perguntou sarcástico.

-Pelo visto nós dois podemos ver essa coisa? –Leon comentou.

-Você também pode vê-lo, achei que fosse algum monstrinho que estava me assombrando ontem; ele comentou.

-Monstrinho? –Fool perguntou indignado, tentando morder o dedo de Yuri, que tentava lhe cutucar pra saber se era real.

-Hei; Yuri falou se afastando.

-Cuidado, vai que ele te morde e não existe vacina; Leon aconselhou.

-Eu não sou um monstrinho. Mas respeito; Fool afirmou.

-É sim, um monstrinho que fica assombrando a gente; Yuri rebateu.

-O Fool não é nenhum monstrinho, ele é o espírito do palco; Rosetta falou indignada, tentando defendê-lo.

-Lá vem essa historia de novo; Yuri rolou os olhos. –Hei monstrinho, o que você fez pra convencer a Rosetta a acreditar em você?

Todos olhavam a cena, curiosos. Os dois segurando algo aparentemente invisível, discutindo.

-Ahn! Nem todo mundo consegue ver o Fool; Rosetta falou com cautela. –E vocês poderiam soltá-lo agora?

-Não, vai que ele sai por ai querendo morder as pessoas; Leon falou, vendo Yuri tirar um lenço do bolso para amará-lo.

-Leon segura firme;

-Me soltem, ou eu vou contar pra Sora; Fool ameaçou.

-Como? –eles perguntaram curiosos.

-Sou o Espírito do Palco, e-...;

-Ta. Ta. Ta. Já sabemos disso; Yuri falou impaciente.

-Será que se a gente der ele para Yunathan comer, ela passa mal? –Leon perguntou, lançando um olhar maligno para Fool e outro para a foquinha.

-Podemos experimentar; Yuri falou com um sorriso sugestivo, voltando-se para a foquinha que escondeu-se atrás de Ian e Mariun, parecendo entender o que eles queriam.

-Vocês dois, soltem o Fool; Laila mandou se aproximando.

-Você pode vê-lo? –Yuri perguntou surpreso.

-Laila, me salva; Fool pediu, embora soubesse que ela não lhe ouviria.

-Podem ter certeza que a Sora mata vocês dois se fizerem algo pra ele; ela completou.

Agora sim que ninguém mais entendia nada. Muito menos quem era Fool?

-Ahn! Então ele estava falando sério? –Leon perguntou suando frio com a possibilidade de ficar literalmente com o filme queimado com a trapezista.

-Srta Laila, você pode ver o Fool?- Rosetta perguntou curiosa.

-Uma vez eu já pude, mas quando sai definitivamente do Kaleido Star deixei de vê-lo; ela explicou.

-Mas, então? –Yuri começou apontando para Fool na mão de Leon. –Como sabe que ele esta aqui?

-Caso vocês não tenha percebido estão fazendo um escaldá-lo por nada; Laila falou balançando a cabeça inconformada. –Aposto que o Fool deve ter dito que vocês são imaturos de mais para serem parceiros da Sora e que seria melhor esperar que outro mais competente aparecesse; ela falou.

Os dois abriram a boca para contestar, mas fecharam-na em seguida sem emitir som algum.

-Previsível; Laila falou. –Soltem-no; ela mandou.

Sem outra alternativa, Leon o soltou. Fool suspirou aliviado, alongou os braços e sorriu vitorioso para os dois.

-Rosetta poderia agradecer a Laila por mim; ele pediu, vendo a jovem assentir.

-Srta Laila, o Fool agradece por fazer esses doidos o soltarem; ela falou.

-Não foi isso que ele disse; Leon falou, estreitando os orbes perigosamente.

-Mas a idéia é a mesma; Rosetta respondeu com um sorriso nervoso.

-Calem-se; o espírito do palco mandou. –Vocês podem me ver, isso quer dizer que vocês foram escolhidos pelo destino para serem as estrelas do Kaleido Star. Antigamente o desafio era executar a Técnica Fantástica desafiando os limites da vida, agora somente aquele que descobrir o verdadeiro motivo para se criar um caminho, conseguira desvendar os segredos da Lenda; e se tornar na verdadeira estrela, do kaleido star ele falou misteriosamente.

-Como assim Fool? –Rosetta perguntou intrigada.

-Enquanto Peixes e Escorpião perdem o rumo que devem seguir, Sagitário cria o seu com asas flamejantes para acender-se ao céu, tornando-se cada vez mais inalcançável para aqueles que simplesmente esperam o tempo passar; ele falou.

-O que você quer dizer com isso? –Yuri perguntou, com o cenho franzido.

Aos poucos as pessoas deixavam o palco, ainda sem entender o que fora aquele surto.

-No fim, só restara a verdadeira estrela, vocês tem as respostas só precisam buscar no local certo;

-Mas e se não conseguirmos essas respostas? –Leon perguntou intrigado.

-Muitos já foram que nem vocês, mas por esquecerem facilmente de seu caminho com o tempo deixaram de me ver, esse é o único caminho que resta para aqueles que não sabem lutar com o destino; ele falou desaparecendo em seguida.

-Uh! Preciso contar pra Sora que vocês também podem ver o Fool; Rosetta falou empolgada.

-NÃO; os dois gritaram juntos.

-Porque? –ela perguntou assustada, diante da reação deles.

-Ahn! Bem...; Yuri começou, passando a mão nervosamente pelos cabelos arrepiados.

-Não é uma boa idéia; Leon completou. –“Ela certamente deve estar irada com a gente”; ele concluiu.

-Porque?

-É melhor deixar a gente contar; Yuri falou suando frio, mesmo sabendo que levaria um bom tempo para conseguir se aproximar da jovem novamente.

Laila balançou a cabeça, como Sora dissera era bem obvio o porque deles não estarem no mesmo nível. Deu-lhes as costas, afastando-se com uma Kate impaciente por saber de algumas respostas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Sab Jul 14, 2007 7:10 pm

bem pessoal o bonus de dois capitulos acabou por aqui agora a musica de encerramento

Ha uma lenda que trazida pelo vento me ensina a sorrir
(nasce o dia aprece sora de costas, vestida com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star).

E me dá forças para viver, onda as borboletas vão livres e é assim
(aparece todo o elenco do kaleido star a fazer acrobacias e a saltar)

nenhum coração é triste e assim nascem flores coloridas no meu jardim, nascem flores coloridas no meu jardim, e assim nascem flores coloridas no meu jardim
(aparecem os rostos do Leon e do Yuri a olharem um par o outro em sinal de desafio)

Ha uma lenda onde existe um sentimento que nunca vai acabar que levo dentro de min onde as dores nunca chegam , onde não existe medo, e é assim é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir
(aparece sora a correr na praia com um vestido branco e um chapéu de palha de repente ele voa para o sol e tudo se enche da luz do sol)


Faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões, que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, faça que o anjo, que vive nos seus sonhos, cuide da criança que ha em nos,e quando cresça, nunca se esqueça, porque perdera o seu coração
(aparece uma rapariga de rosto tapado pelos cabelos castanhos encaracoladas com vestido cor de rosa cheio de folhinhos e assegurar numa sombrinha também cor de rosa)


Ha uma lenda que a vovo contava sempre e que eu vou te contar para você poder sonhar onde a maldade perde e eu bem que sempre vence e é assim só quem sonha é feliz até ao fim só quem sonha é feliz até ao fim, so quem sonha em feliz até ao fim
(aparece sora, Leon, Yuri, e a rapariga do vestido cor de rosa a fazer uma vênia)

faça a lenda valer pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, façam que o anjo que vive no seu coração, cuide da criança que ha em nos e quando cresça nunca se esqueça porque perdera o seu coração
(aparece Sora, Leon, Yuri, Rosseta e a rapariga cor de rosa a voarem no ar, com as asas de um anjo no ar e foll a rodar entre eles e a lançar o seu pozinho dourado)


faça a lenda valer a pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valer a pena, essa lenda valer a pena
(aparece sora a balouçar em cima de um trapézio muito sorridente e foll no ombro dela)


faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valera pena faça, essa lenda valera pena
(aparece sora de costas a noite com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star e de repente aparece o pessoal do kaleido star a correr para ela e o fool a lançar o seu pozinho e a voar até ao topo do kaleido star)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
layla_killian
parceira de 1 estrela
parceira de 1 estrela
avatar

Número de Mensagens : 47
Data de inscrição : 11/07/2007

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Sab Jul 14, 2007 7:53 pm

COMO SEMPRE SUPER HIPER MEGA LINDA^^

TRES VIVAS PARA A NOSSA ESCRITORA DE FICS PERFERIDA cheers cheers cheers
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
WhiteSun
namorada atual
namorada atual
avatar

Número de Mensagens : 286
Idade : 24
Localização : Numa casa de vista pra o mar
Data de inscrição : 09/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Koe Yoro(Voz da Noite)
Nome do Teu Boy: Eyes Rutherford
Idade: 16 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Dom Jul 15, 2007 2:31 pm

*a não consseguir parar de rir*
DÁ O FOOL COMO COMIDA PARA A JONATHAN! xDDDDDDDD
ADOREI ESTE CAPITULO! ^^
yay leon e yuri levaram sermao 8D xD
este vai ser o meu capitulo preferido

_________________

Don't leave me Anymore...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://sailormermaid.forumotion.com
pretty girl
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 481
Idade : 28
Localização : aqui mesmo XD
Data de inscrição : 04/07/2007

Tu e o Teu Rapaz
Nome: Belle Kaulitz
Nome do Teu Boy: Bill Kaulitz
Idade: 17 anos

MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   Dom Jul 15, 2007 3:35 pm

ca vai mais um fic com um bonus de dois capitulos

ha uma lenda que trazida pelo vento me ensina a sorrir
(nasce o dia aprece sora de costas, vestida com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star).

E me dá forças para viver, onda as borboletas vão livres e é assim
(aparece todo o elenco do kaleido star a fazer acrobacias e a saltar)

nenhum coração é triste e assim nascem flores coloridas no meu jardim, nascem flores coloridas no meu jardim, e assim nascem flores coloridas no meu jardim
(aparecem os rostos do Leon e do Yuri a olharem um par o outro em sinal de desafio)

Ha uma lenda onde existe um sentimento que nunca vai acabar que levo dentro de min onde as dores nunca chegam , onde não existe medo, e é assim é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir, é uma lenda que podemos dividir
(aparece sora a correr na praia com um vestido branco e um chapéu de palha de repente ele voa para o sol e tudo se enche da luz do sol)


Faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões, que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, faça que o anjo, que vive nos seus sonhos, cuide da criança que ha em nos,e quando cresça, nunca se esqueça, porque perdera o seu coração
(aparece uma rapariga de rosto tapado pelos cabelos castanhos encaracoladas com vestido cor de rosa cheio de folhinhos e assegurar numa sombrinha também cor de rosa)


Ha uma lenda que a vovo contava sempre e que eu vou te contar para você poder sonhar onde a maldade perde e eu bem que sempre vence e é assim só quem sonha é feliz até ao fim só quem sonha é feliz até ao fim, so quem sonha em feliz até ao fim
(aparece sora, Leon, Yuri, e a rapariga do vestido cor de rosa a fazer uma vênia)

faça a lenda valer pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade na primavera que existe em seu coração, façam que o anjo que vive no seu coração, cuide da criança que ha em nos e quando cresça nunca se esqueça porque perdera o seu coração
(aparece Sora, Leon, Yuri, Rosseta e a rapariga cor de rosa a voarem no ar, com as asas de um anjo no ar e foll a rodar entre eles e a lançar o seu pozinho dourado)


faça a lenda valer a pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valer a pena, essa lenda valer a pena
(aparece sora a balouçar em cima de um trapézio muito sorridente e foll no ombro dela)


faça essa lenda valera pena viva seus sonhos e ilusões que sejam verdade, na primavera que existe em seu coração, faça essa lenda valera pena faça, essa lenda valera pena
(aparece sora de costas a noite com o fato que usou na técnica angelical a olhar para o kaleido star e de repente aparece o pessoal do kaleido star a correr para ela e o fool a lançar o seu pozinho e a voar até ao topo do kaleido star)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://boyskaleidostar.forumotion.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: a lenda de kaleido star   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
a lenda de kaleido star
Voltar ao Topo 
Página 1 de 6Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Podcast Revolution #022 - A lenda dos Defensores de Athena parte 2 Final
» STAR WARS MOVIES - Estreou Ep VIII!!! Spoilers pág. 35
» Xadrez Star Wars
» Mustang GT-500 do filme "Eu sou a Lenda" com o Will Smith
» APONTANDO ANTENA PARA O TELSTAR 12, AMAZONAS E/OU STAR ONE C2

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Forum Boys :: Fanfics/Fanarts-
Ir para: